Hackers Lulzsec anunciam fim de ataques

Atualizado em  26 de junho, 2011 - 08:17 (Brasília) 11:17 GMT

Ataques do Lulzsec irritaram governos e empresas, e são alvo de investigações policiais

O grupo hacker Lulz Security anunciou que encerrará os seus ataques cibernéticos a alvos proeminentes, após 50 dias de ação.

Em sua conta do Twitter, o grupo, conhecido como Lulzsec, disse que “seu cruzeiro planejado de 50 dias expirou” – uma referência aos barcos que o grupo tem utilizado em seus ataques.

“Nosso cruzeiro planejado de 50 dias expirou, e agora devemos zarpar para a distância, deixando para trás, esperamos, inspiração, medo, negação, felicidade, aprovação, reprovação, ridicularização, constrangimento, pensamentos, inveja, ódio e até amor”, diz o grupo.

“Nossa tripulação de seis pessoas lhes deseja um feliz 2011.”

Como parte de sua última “missão”, os hackers divulgaram uma leva de dados que aparentemente contêm material confidente vazado da polícia do Arizona e da empresa de telefonia americana AT&T.

O grupo de Hackers ganhou notoriedade ao invadir os sites altamente visados e considerados de alta segurança, como o da Central de Inteligência Americana (CIA), do Senado americano, gigantes de entretenimento como os grupos Fox e PBS e multinacionais como Sony e Nintendo.

Após a mensagem final no Twitter, analistas já começaram a especular que a verdadeira razão do desmantelamento do grupo tenham sido as investigações policiais abertas para apurar os ataques, que resultaram na prisão de um britânico de 19 anos suspeitos de ligação com o Lulzsec, assim como a tentativa de outros grupos de hackers de expô-los.

No Brasil, o braço brasileiro do grupo, o LulzSecBrazil, reivindicou a responsabilidade feira por um ataque ao site da Presidência da República.

Na sexta-feira, os alvos foram os sites do Ministério da Cultura e do IBGE, que chegaram a ficar fora do ar. Após uma varredura no sistema, o instituto de estatística afirmou que nenhuma informação foi acessada em sua base de dados.

Motivação política

Na sexta-feira, a BBC exibiu um programa de TV no qual um porta-voz do afirma que as ações têm como objetivo atacar os “que estão no topo” da sociedade a fim de obrigá-los a “descer do salto”.

Em um chat privado exibido com o programa Newsnight, Whirlpool (Redemoinho), que se descreveu como “capitão do barco Lulz”, afirmou que o grupo começou a hackear computadores há cerca de dois meses apenas “para se divertir” - mas que os objetivos se ampliaram desde então.

“Hacking ético com objetivos políticos é mais recompensador”, disse o hacker.

Clique Leia mais na BBC Brasil: 'Queremos obrigar os que estão no topo a descer do salto', diz porta-voz de hackers

A reportagem da BBC não se encontrou pessoalmente com Whirlpool, o porta-voz dos hackers. A produção do programa Newsnight, exibido na sexta-feira à noite, pôde confirmar que ele é usuário com acesso ao twitter @Lulzsec.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.