BBC navigation

EUA estão em negociação direta com o Talebã, diz presidente afegão

Atualizado em  18 de junho, 2011 - 06:59 (Brasília) 09:59 GMT
AFP

Karzai dá a primeira confirmação oficial de que os EUA estão em contato com a milícia (Foto: AFP)

Os Estados Unidos e outras potências ocidentais estão envolvidos em diálogos preliminares com a milícia islâmica do Talebã, afirmou neste sábado o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai.

As negociações de paz, segundo Karzai, estão sendo realizadas por oficiais militares estrangeiros, principalmente americanos. No entanto, o presidente afegão não deu maiores detalhes sobre a natureza dos diálogos.

Segundo o correspondente da BBC em Cabul, Paul Wood, sempre houve desconfiança de que o governo de Washington estaria em contato direto com o Talebã, mas esta foi a primeira confirmação oficial deste tipo de negociação.

No início deste mês, o secretário de Defesa americano, Robert Gates, disse que diálogos políticos poderiam ser realizados com o Talebã até o fim do ano.

Wood afirma que a identidade exata dos negociadores americanos é desconhecida, assim como não se sabe se os representantes dos Estados Unidos estão dialogando com figuras com autoridade dentro do Talebã, ou apenas com mensageiros.

O correspondente da BBC diz que também se desconhece exatamente o que está sendo colocado sobre a mesa nestes diálogos.

De acordo com Wood, a posição oficial do Talebã é que as forças internacionais devem primeiramente deixar o Afeganistão, para depois se discutir um acordo de paz, deixando por último as negociações com o governo afegão - algo que contradiz a afirmação do presidente Karzai.

O plano de retirada de tropas dos Estados Unidos do Afeganistão preve para julho deste ano o início da saída dos 97 mil soldados americanos do país. O objetivo é entregar gradualmente todas as operações de segurança ao governo afegão até 2014.

Resultados rápidos

Ninguém deve esperar resultados rápidos de quaisquer contatos que possam estar ocorrendo, afirma o repórter da BBC. A previsão de todos os atores envolvidos - a Otan, o governo afegão e o próprio Talebã - é que este verão no hemisfério norte será mais uma temporada de duros combates na região.

Nessa sexta-feira, a ONU separou a Al-Qaeda e o Talebã em diferentes listas de sanções, em uma tentativa de encorajar os talebãs a se unir aos esforços de reconciliação no Afeganistão.

O Conselho de Segurança da ONU diz que a divisão tem como objetivo sinalizar ao Talebã –que controlou a maior parte do Afeganistão entre 1996 e 2001, ano da invasão americana – que é hora de o movimento se juntar ao processo político afegão.

Embora tenha sido expulso do poder depois da invasão americana, ocorrida após os atentados de 11 de setembro de 2001, o Talebã continua controlando diversas áreas no Afeganistão, realizando constantes ataques a alvos ocidentais.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.