Oriente médio

Rebeldes avançam rumo à cidade natal de líder líbio

Rebeldes em Bin Jawwad, perto de Ras Lanuf

Poder está dividido no país, segundo observadores

As forças rebeldes no leste da Líbia estão avançando em direção a Sirte, cidade natal e importante bastião do líder líbio Muamar Khadafi, cujas tropas travaram duros confrontos neste sábado.

O pequeno acampamento de Bin Jawwad, a 150 km de Sirte, parece já estar sob o controle dos rebeldes, e um morador da cidade natal de Khadafi disse à BBC que sons esporádicos de tiros têm sido ouvidos à distância. Muitos estrangeiros estão deixando o local.

Os opositores de Khadafi tomaram também a cidade petrolífera de Ras Lanuf e realizaram neste sábado combates com as forças leais ao governo pelo controle de Zawiya, situada a 50 km da capital, Trípoli.

O número de mortos em Zawiya é incerto, mas há relatos de que sejam dezenas. Os conflitos só acalmaram à noite (horário local), de acordo com testemunhas.

Em Ras Lanuf, um avião militar foi derrubado, aparentemente por forças anti-Khadafi, o que deve aumentar a confiança dos rebeldes.

País dividido

Segundo o editor da BBC John Simpson, se os rebeldes chegarem a Sirte e conseguirem tomar a cidade, a tentativa de ocupação de Trípoli pode ser o próximo passo.

Mas, nos arredores de Zawiya, o correspondente Jeremy Bowen relata que as estradas estão tomadas por militares líbios.

E, em Trípoli, cresce a confiança dos soldados leais ao regime, que sentem que seu controle da capital e arredores foi assegurado.

Observadores dizem que o balanço de poder é difícil de ser medido neste momento, enquanto forças contrárias e a favor de Khadafi tentam tomar o controle do país.

Para o correspondente Wyre Davies, a Líbia é um país efetivamente dividido atualmente – em meio a intensas batalhas, nenhum dos lados parece ter a capacidade de, ao menos por enquanto, realmente dominar o país.

No front político, e em mais um sinal das disputas de poder, o grupo de 30 rebeldes que se autointitula Conselho Nacional fez sua primeira proclamação neste sábado. Liderado pelo ex-ministro da Justiça Mustafa Abdel Jalil e estabelecido em Benghazi – também tomada pela oposição –, o grupo se autodeclarou o “representante legítimo” da Líbia.

O grupo disse que não quer tropas estrangeiras em solo líbio, mas pediu que ataques aéreos vindos do exterior sejam perpetrados para desestabilizar as forças de Khadafi.

Refugiados

Enquanto os combates continuam, autoridades da ONU advertem que milhares de trabalhadores estrangeiros estão tentando deixar a Líbia. Há estimados 10 mil deles rumando no momento para a fronteira com o Egito.

Na divisa com a Tunísia, milhares de pessoas passaram a última noite em um acampamento temporário, enquanto esperam sua retirada. O correspondente da BBC Jim Muir, que visitou o acampamento, diz que o local virou “um mar de tendas”.

“O acampamento tem capacidade para até 18 mil pessoas, todas esperando para sair da Líbia. A maioria das pessoas é de Bangladesh”, relatou Muir, acrescentando que cerca de 2 mil pessoas por dia estão conseguindo deixar a Líbia pela fronteira tunisiana.

Tópicos relacionados

    BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

    Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.