Afeganistão

Talebã deve romper com Al-Qaeda ou enfrentar consequências, diz Hillary

Hillary Clinton

Para Hillary, Talebã pagou 'preço alto' por se aliar à Al-Qaeda

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse nesta sexta-feira que a pressão militar dos Estados Unidos sobre o grupo Talebã no Afeganistão deixa seus militantes diante da escolha entre se afastar da rede extremista Al-Qaeda e “as consequências” de não mudar essa postura.

“Eles não podem nos vencer. E eles não podem escapar a essa escolha”, disse Hillary, em um discurso sobre a política americana para o Afeganistão e o Paquistão em Nova York.

Segundo a secretária, depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, o Talebã escolheu “desafiar a comunidade internacional e proteger a Al-Qaeda (responsável pelos ataques)”.

“Essa foi a escolha errada, e eles pagaram um preço alto. Hoje, a crescente pressão da nossa campanha militar está moldando uma decisão parecida para o Talebã: rompam a ligação com a Al-Qaeda, renunciem às armas e obedeçam a Constituição afegã e vocês poderão se reintegrar à sociedade afegã”, afirmou.

“Recusem e vocês continuarão a encarar as consequências de estarem ligados à Al-Qaeda como inimigos da comunidade internacional.”

Transição

Hillary disse que os Estados Unidos seguem uma estratégia de três trilhos na região: a ofensiva militar contra a Al-Qaeda e o Talebã; o apoio aos governos, economias e sociedades civis no Afeganistão e no Paquistão, minando os esforços da insurgência; e o esforço diplomático para pôr fim ao conflito afegão e traçar um futuro seguro para a região.

De acordo com a secretária, caso os militantes do Talebã rompam a ligação com a Al-Qaeda e renunciem à violência, isso deixaria a rede extremista sozinha e fragilizada.

Os Estados Unidos têm 78 mil militares no Afeganistão e planejam iniciar a retirada de suas tropas em julho deste ano. A expectativa é que até 2014 todas as tropas tenham deixado o país.

Segundo Hillary, a segurança no Afeganistão melhorou e começa a se estabilizar.

Em seu discurso, Hillary anunciou ainda que o diplomata Marc Grossman será o novo enviado especial dos Estados Unidos ao Paquistão e ao Afeganistão, em substituição a Richard Holbrooke, que morreu em dezembro do ano passado.

Sanções

Nesta sexta-feira, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou a imposição de sanções contra a New Ansari Exchange, considerada a maior empresa de transferência de dinheiro do Afeganistão, e outros 15 indivíduos ou grupos ligados a ela, por suposta lavagem de dinheiro para traficantes de drogas.

Os Estados Unidos acusam a New Ansari Exchange e seus afiliados de lavar dinheiro proveniente do tráfico de drogas como heroína, ópio e morfina.

Os nomes incluídos na lista terão seus bens nos Estados Unidos congelados. Cidadãos americanos também serão proibidos de fazer negócios com os incluídos na relação.

Segundo o governo americano, os lucros provenientes do tráfico de drogas ajudam a alimentar a insurgência no Talebã no Afeganistão.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.