Meio Ambiente

Negociadores viram noite para tentar concluir rascunho em reunião do clima

Chefes de Estado discutem políticas climáticas

O presidente mexicano Felipe Calderón, discute políticas climáticas com outros chefes de Estado

Negociadores de dezenas de países praticamente viraram a noite de quarta-feira elaborando o rascunho do texto base de um acordo a ser assinado por ministros e chefes de Estado presentes à conferência das Nações Unidas sobre mudança climática, em Cancún, no México.

Analistas dizem que o texto precisa ser concluído pelo menos até o início da tarde desta quinta-feira para dar tempo suficiente para que os líderes das delegações discutam os detalhes, aparando arestas e resolvendo os impasses que ainda existem.

Em uma rápida entrevista coletiva, antes de voltar à mediação que vem desempenhando ao lado de representantes britânicos para destravar um possível acordo sobre novos cortes de emissões sob o Protocolo de Kyoto a partir de 2012, o negociador-chefe brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo Machado, se disse "cautelosamente otimista".

"Todos os países estão engajados. Estamos explorando uma linguagem que pode fazer pontes importantes", afirmou o diplomata, sem entrar em detalhes.

Impasse

Brasileiros e britânicos, a pedido da presidência mexicana do encontro, tentam há dois dias encontrar uma solução para o impasse criado na semana passada, quando o Japão anunciou não ter intenção de assumir metas de cortes de emissões na segunda fase de Kyoto.

A negativa, embora não fosse uma surpresa total - já que dois dos principais concorrentes dos japoneses, Estados Unidos e China, não terão metas neste segundo período de Kyoto - criou uma situação difícil de resolver.

Para muitos países na conferência, o Protocolo de Kyoto é um instrumento testado e aprovado que não pode ser abandonado sem que exista algo concreto para substitui-lo.

Por outro lado, negociações sobre florestas vêm sendo dadas como praticamente fechadas. Faltam detalhes, mas observadores dizem que eles seriam de fácil resolução, uma vez que exista pressão para conclusão.

E faltando dois dias para o fim da reunião, a pressão só tende a aumentar.

Entre os detalhes que faltam ser acertados para um acordo sobre cortes de emissões de florestas, estão a questão de como garantir a eficácia de salvaguardas em projetos florestais e a entrada de mecanismos de mercado no financiamento de projetos REDD (redução de emissões por desmatamento e degradação).

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.