Grã-Bretanha

Gay que doou esperma a lésbicas ganha direito de dividir custódia dos filhos

Um homem gay que doou sêmen para um casal de lésbicas obteve na Justiça britânica o direito de dividir a custódia dos dois filhos.

As crianças, hoje com 9 e 7 anos, foram concebidas por inseminação artificial após o pai, de 51 anos, ter colocado um anúncio na revista Gay Times intitulado “Homem gay quer ser pai”.

No anúncio, ele dizia que era um profissional que tinha tudo o que queria, “menos filhos” e oferecia a doação de esperma, pedindo “um pouco de envolvimento” na criação dos filhos.

O homem escolheu um casal de lésbicas que respondeu ao anúncio. Uma das mulheres teve dois filhos, mas o doador acabou tendo seu contato com as crianças cortados pela mãe - que o acusou de querer “marginalizar” sua companheira.

A decisão da Corte de Apelação Civil de Londres confirma uma decisão anterior da Justiça, que deu ao pai o direito de passar metade do ano com os filhos.

A juíza do caso, Jill Black, reconheceu a importância da companheira da mãe na criação dos filhos, mas se negou a aceitar o pedido delas para que o pai fosse impedido de ter acesso às crianças.

“Se os adultos não conseguirem resolver as coisas pela comunicação, as crianças inevitavelmente vão sofrer”, disse a juíza.

“Os adultos também podem pagar o preço quando as crianças forem suficientemente grandes para entender o que estava acontecendo”, afirmou.

Black classificou a batalha jurídica de “uma grande vergonha”.

“A infância passa muito rápido e, apesar de apreciar que ambos os lados pensam estar motivados somente pela preocupação com as crianças, é também muito triste ver esse tempo passando enquanto a energia é voltada para disputas e litígios entre os adultos”, afirmou a juíza.

“O que é particularmente injusto é que o legado de uma infância manchado desta maneira pode permanecer com as crianças em sua vida adulta”, concluiu.

Os pais e as crianças não tiveram seus nomes divulgados pela Justiça por questões legais.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.