Autoridade de governo egípcia é detida após roubo de Van Gogh

Quadro de Van Gogh conhecido como 'Flores de Papoula' ou 'Vaso e Flores', roubado de museu (arquivo)

Quadro teria sido cortado de sua moldura

O chefe do setor de belas artes do governo do Egito foi detido depois do roubo de um quadro de Van Gogh avaliado em US$ 50 milhões (quase R$ 86 milhões) de um museu do Cairo.

Muhsin Sha'lan, primeiro subsecretário do Ministério da Cultura, foi acusado de "negligência" de acordo com a agência de notícias estatal egípcia Mena. Várias outras autoridades também teriam sido detidas.

O jornal egípcio Al-Ahram informou que outros nove funcionários do Ministério da Cultura também teriam sido proibidos de viajar como parte da investigação sobre o roubo.

As autoridades do governo ainda não comentaram as detenções.

O roubo, ocorrido durante o dia no sábado no museu Mahmoud Khalil, teria sido causado devido à falta de segurança no local. O mais importante promotor de Justiça do país, Abdel Meguid Mahmud, afirmou que nenhum dos alarmes e apenas sete das 43 câmeras de segurança do museu estavam funcionando.

Segundo o promotor, os alarmes e câmeras já não funcionavam no museu há algum tempo.

O quadro, conhecido como Flores de Papoula ou Vaso e Flores, foi cortado da moldura onde estava e levado pelos ladrões.

A polícia egípcia estaria concentrando as buscas pelo quadro roubado em portos e aeroportos do país.

Recuperação negada

Ainda no sábado foram divulgadas informações confusas pelo ministro da Cultura egípcio, de que o quadro tinha sido recuperado.

Farouk Hosni tinha afirmado que dois italianos tinham sido presos no aeroporto do Cairo devido a envolvimento com o roubo, depois de uma visita ao museu no começo do dia.

Mas, depois, Hosni informou que tinha recebido informações "erradas" e que o quadro ainda estava desaparecido.

A agência de notícias Mena relatou que os italianos tinham despertado suspeitas, pois foram vistos entrando em um banheiro e então deixando o museu rapidamente.

Mas, na segunda-feira, a agência relatou que a Embaixada da Itália no Egito negou as informações.

O quadro, que mede 30 centímetros por 30 centímetros e mostra flores amarelas e vermelhas, teria sido pintado por Vincent Van Gogh em 1887, três anos antes de sua morte.

A obra já tinha sido roubada deste mesmo museu do Cairo em 1978, mas foi recuperada dez anos depois no Kuwait.

O museu Mahmoud Khalil foi construído por um político egípcio, que tinha este nome, na década de 30 e também conta com quadros de Monet, Renoir e Degas em seu acervo.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.