América Latina

Após quatro anos, Fidel volta a discursar no Parlamento cubano

Fidel Castro

Fidel Castro usou seu tradicional uniforme verde-oliva no Parlamento

O ex-presidente cubano, Fidel Castro, fez neste sábado o seu primeiro discurso na Assembleia Nacional – o Parlamento de Cuba – desde que deixou o poder, há quatro anos.

Os presentes na Assembleia Nacional aplaudiram efusivamente o ex-presidente, na sua chegada ao local.

Fidel Castro subiu ao pódio com ajuda de um assistente. O ex-presidente, que completa 84 anos na próxima semana, estava vestido com seu tradicional uniforme militar verde-oliva, mas sem nenhuma insígnia.

O irmão de Fidel, o presidente Raul Castro, também estava presente. Esta foi a primeira aparição pública dos dois juntos em quatro anos, quando Fidel ficou doente.

'Destruição nuclear'

Fidel, conhecido por seus discursos longos, com horas de duração, falou desta vez por pouco mais de dez minutos.

Depois do discurso, Fidel Castro ficou por mais de uma hora respondendo a perguntas sobre relações externas feitas pelos parlamentares.

Ele disse que os Estados Unidos planejam atacar o Irã e a Coreia do Norte, e que o mundo está à beira da destruição nuclear. Em vez de desfilar ataques contra os Estados Unidos, Fidel fez um apelo para o presidente americano, Barack Obama, dizendo que ele é capaz de impedir isso.

"Se a guerra eclodir, a atual ordem social vai desaparecer de repente, e o preço disso será infinitamente maior", disse Castro.

Se a guerra eclodir, a atual ordem social vai desaparecer de repente, e o preço disso será infinitamente maior.

Fidel Castro

Ao ser questionado sobre a possibilidade de Obama dar início a uma guerra nuclear, Castro respondeu: "Não, não se nós o convencermos a não fazer isso".

Para o correspondente da BBC em Havana, Michael Voss, Fidel Castro parecia mais firme e melhor do que no mês passado, quando voltou a aparecer em público.

O ex-presidente cubano ainda ocupa o cargo de primeiro secretário do Partido Comunista. Após quatro anos afastado do poder e da vida pública, ele vem aparecendo com mais frequência no último mês na televisão e em discussões com grupos seletos de pessoas.

Especulações

Em Cuba, o ressurgimento de Fidel Castro na Assembleia Nacional deu início a especulações sobre que tipo de papel o líder ocupará na vida política do país de agora adiante. Fidel liderou a revolução de 1959 que derrubou o governo de Fulgêncio Batista, e liderou o país até 2006, quando deixou o poder com problemas de saúde.

Para o ministro da Cultura de Cuba, Abel Prieto, o fato de Fidel ter voltado a discursar neste sábado não significa que o ex-presidente cubano retornará ao governo.

"Eu acho que ele sempre fez parte da vida política de Cuba, mas ele não está no governo", disse Prieto à BBC. "Ele foi muito cauteloso sobre isso. Sua grande batalha são as relações internacionais."

O presidente Raul Castro, de 79 anos, também vem afirmando que não há divisões no Partido Comunista cubano. Desde que assumiu o governo, Raul Castro deu início a um processo de liberalização de parte da economia do país, que é quase totalmente controlada pelo Estado de Cuba.

BBC navigation

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.