América Latina

Cuba permite privatização de barbearias e salões de cabeleireiros

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O governo de Cuba decidiu permitir que funcionários de barbearias e salões de cabeleireiros do país possam a partir de agora administrar seus próprios negócios.

Todos os barbeiros e cabeleireiros trabalhando em salões com três cadeiras ou menos poderão alugar o espaço e pagar impostos, ao invés de receber um salário mensal.

"É um experimento", disse o cabeleireiro Juan Robin Corso Suarez. "Não posso dizer se é bom ou não. Nunca trabalhei assim, estamos apenas começando".

O setor comercial de Cuba é famoso por conta do serviço ruim e do desvio de dinheiro levantado com serviços ou vendas.

O ex-presidente do país, Fidel Castro, nacionalizou todas as pequenas empresas em 1968.

Lentidão e Cautela

Agora, o irmão mais novo e sucessor de Fidel, Raúl Castro, está tentando modernizar o sistema sem, no entanto, abraçar um capitalismo em grande escala.

Outros países comunistas como China e Vietnã fizeram, há tempos, reformas de mercado - mantendo, no entanto, o controle político.

As primeiras reformas econômicas adotadas pelo presidente Raúl Castro consistiram em dar terra improdutiva controlada pelo Estado a fazendeiros.

Alguns taxistas também têm permissão de trabalhar como autônomos.

Agora, com a nova medida, o governo cubano passa a adotar gradualmente um modelo de privatização no setor de varejo e de serviços.

As medidas envolvendo os salões de beleza não foram anunciadas oficialmente ou mencionadas pela imprensa estatal.

Em um discurso recente durante o Congresso da Juventude Comunista, Raúl Castro reconheceu que os cubanos estão impacientes para que haja mudanças, mas disse que planeja avançar devagar e com cuidado.

BBC navigation

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.