Saúde

México adota medidas drásticas para controlar gripe suína

Soldado distribui máscaras à população na Cidade do México

A população está usando máscaras para evitar a contaminação

O governo do México anunciou neste domingo algumas medidas drásticas para tentar controlar o surto de gripe suína que já matou 81 pessoas.

A Organização Mundial de Saúde anunciou, no sábado, que a nova variedade do vírus identificada no México é grave e tem o potencial de virar pandemia. Além disso, a OMS classificou o surto da doença como uma emergência de saúde pública internacional.

Segundo as novas medidas do governo, as escolas da capital, Cidade do México, e de outros dois Estados permanecerão fechadas por duas semanas.

Além disso, todos os eventos públicos, inclusive as missas e as partidas de futebol deste domingo, foram cancelados. Cerca de 70% dos bares e restaurantes da capital também foram fechados.

O governo recomenda que a população evite cumprimentos com as mãos e a Embaixada dos Estados Unidos aconselhou visitantes a permanecerem a pelo menos 1,8 metros de distância de outras pessoas.

As autoridades de saúde do México também foram autorizadas a isolar pessoas contaminadas, caso seja necessário.

O ministro da Saúde do México, José Córdova, afirmou que um total de 1,3 mil pessoas foram internadas com sintomas suspeitos da gripe suína desde o dia 13 de abril e que os pacientes estão sendo examinados.

Preocupação internacional

A epidemia de gripe suína se espalhou também para os Estados Unidos, onde 11 casos não-fatais da doença foram confirmados.

Entre os casos americanos da doença sete pessoas foram contaminadas no Estado da Califórnia, duas no Texas e duas no Estado de Kansas.

Em Nova York, o secretário de Saúde, Thomas Frieden, disse que exames preliminares conduzidos em alguns estudantes demonstraram também possíveis novos casos da doença.

O ministro da Saúde da Nova Zelândia, Tony Ryall, disse que dez estudantes que voltaram recentemente do México podem estar infectados com o vírus, já que apresentaram resultados positivos no exame de influenza.
A secretária da OMS, Margaret Chan, fez um apelo para que os governos ao redor do mundo fiquem em alerta.

"Trata-se de uma situação séria que deve ser observada atentamente", disse Chan, que interrompeu uma viagem a Washington para se reunir com um comitê especial em Genebra.

"Os vírus causadores das infecções em algumas partes do México e em algumas partes dos Estados Unidos são geneticamente iguais. Esta é uma variação do vírus H1N1 e tem potencial para causar uma pandemia, pois está infectando pessoas. No entanto, não podemos falar, baseados nas atuais provas de laboratório, epidemiológicas e clínicas, se teremos ou não uma pandemia", acrescentou.

O vírus H1N1 é a mesma variedade que causa epidemias de influenza em humanos, mas a nova variante identificada no México contém material genético de versões da gripe que normalmente afeta porcos e pássaros.

O vírus respitório - que infeta porcos e esporadicamente pode atingir humanos - é transmitido principalmente por espirros e tosses.

BBC navigation

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.