BBC Online Network Fale com a gente
O Mundo Hoje
Especial
BBC e Você
Ivan Lessa
Sobre a BBC
Aprenda inglês

BBC Rádio
Programação
De Olho no Mundo
Como sintonizar

BBC e Você
Fórum: Música na internet deve ser gratuita?


Duas das maiores gravadoras do mundo, a Warner e a BMG, chegaram a um acordo fora dos tribunais com o MP3.com, o site que permite o acesso a milhares de canções arquivadas no formato mp3.

Acredita-se que a MP3.com pagou entre US$ 75 e US$ 100 milhões às gravadoras para ter o direito de fornecer canções dos artistas da BMG e da Warner.

Isso põe fim a apenas um dos vários casos que estão sendo decididos na justiça americana, envolvendo gravadoras, artistas e sites da Internet.

O mais polêmico é o da ação movida pela Associação Americana das Gravadoras e uma série de bandas contra o Napster.com, um site que torna o acesso a milhares de arquivos musicais uma brincadeira de criança.

Estima-se que cerca de 3 milhões de downloads de arquivos de MP3 são feitos por dia. Milhares de arquivos são trocados entre os fãs todos os dias pela internet.

O caso Napster divide os músicos. Metallica conta com o apoio de Madonna, Elton John, Lou Reed, Puff Daddy e Dr. Dre para acabar com a chamada "mamata" do MP3 na rede.

Do outro lado, há músicos, como a banda Offspring, que acham que os fãs devem ter todo o direito de usar a Internet para trocar informação e músicas.

O que você acha? Os usuários de internet devem ter o direito de baixar e trocar seus arquivos pela internet? Ou os artistas devem ter seu direito protegido contra essa divulgação não paga sobre seu trabalho?


Sua opinião

Na minha opinião, os usuários devem ter o direito de baixar e trocar músicas pela internet. Quando você baixa um desses arquivos, você vai ter apenas uma amostra ou uma só música daquele artista, e não todo o CD. As pessoas gostam de baixar músicas e trocar músicas na internet por causa do custo dos CDs. Se caíssem um pouco os preços dos CDs, talvez ninguém levasse prejuízo.
Güinther Paz Gitzel Manoel Viana, RS

ACHO QUE OS ARTISTAS DEVEM TER SEU DIREITO PROTEGIDO CONTRA A DIVULGAÇÃO NÃO PAGA SOBRE SEU TRABALHO. AFINAL DE CONTAS, O ARTISTA DEVE TER O SEU TRABALHO RECONHECIDO...
EDSON RABASSI, OSASCO, SÃO PAULO

O que deveria ser aqui posto em questão é o papel das gravadoras, as quais os artistas alienam o seu direito de propriedade, em primeiro lugar. Em geral, sao corporações que pouco investem na formação de novos talentos, que encontram uma excelente alternativa no formato mp3. O que está em jogo, na realidade, não são direitos de propriedade artística, mas a sobrevivência de uma indústria fonográfica que se vê ameaçada diante de uma alternativa economicamente atraente para os artistas, que passam a ter um maior poder sobre a própria produção.
Eduardo Spinola, Salvador

Sim. Deve ser gratuita. A origem da mp3 foi pra isso e deve continuar a ser divulgada.
Emerson de Oliveira, Marília

Abaixo os grandes tubarões da indústria fonográfica !!!! Free mp3 !!!! O mp3 veio para ficar assim como a internet e o direito de sermos livres de pagar preços absurdos por CDs.... Essa é a nova ordem mundial !!!!! E um abraço pros donos de gravadoras !!!! Chega de sua hegemonia hipócrita !!!
Mario Barros, São Paulo

O acesso aos MP3s, ao meu ver, é plenamente válido. Cabe às gravadoras oferecerem serviços extras junto às músicas para tornar a aquisição de um cd válida, ou explorar concertos ou outros eventos como fonte de renda. Também vejo a troca de MP3s como uma consequência dos preços abusivos dos CDs, e me entristecem os artistas que subjugam a arte ante retornos financeiros.
Daniel Vasconcelos, Recife

"Alea jacta est!" Por mais que o Napster ocupe, por hora, o centro das acusações da indústria fonográfica, ele representa apenas a ponta do iceberg, uma vez que após a idéia original ter sido lançada, uma série de outros artefatos (já disponíveis) permitem a usuários trocarem suas músicas, e outros tipos de arquivos, pela rede mundial sem ter de pagar por isso. Na verdade isto não é muito diferente de quando as pessoas gravavam, em fitas cassetes, suas músicas preferidas a partir de um LP emprestado de um amigo. Obviamente que tal processo de troca está potencializado pela Web. Embora o atual processo de transformação da Indústria do Entretenimento seja irreversível, acredito que, assim como a TV e o VCR não acabaram com o cinema, o Napster e outros não destruirão de fato a indústria. fonográfica.
Alexandre Horta, São Paulo

Acho que deve ser liberada a música gratuita pela internet, pois com certeza a grande maioria dos internautas não tem recursos de gravar seus arquivo mp3 e gravá-los em formato de cd de áudio. Com isso não irá prejudicar de forma alguma a indústria da música.
Ramiro França Silva, São Gonçalo

Não há como deter o fenômeno do Napster. A indústria vai ter de encontrar outros meios de ganhar dinheiro - justo - para seus artistas.
Jose Silva, Marília

O Metallica está me decepcionando com essa atitude injustificada em relação a seus inúmeros fãs. Deixem as pessoas trocar músicas, por favor!!!
Luiz Tomazela, SP

Matérias relacionadas

Gravadoras pedem fechamento do Napster

Napster.com esquenta briga sobre músicas na internet


Outros fóruns

A Microsoft deve ser dividida?

Quem é a cara do Brasil 500 anos?

Usar cartão de crédito na internet é seguro?

A globalização beneficia o Brasil?

 

 

    Para cima    
© BBC World Service
Bush House, Strand, London WC2B 4PH, UK.
Notícias e áudio em 43 línguas
s