BBC navigation

Para Inglês Ver

Comércio de rua ou shopping, o que você prefere?

Atualizado em  17 de março, 2014 - 08:14 (Brasília) 11:14 GMT

Desço do ônibus numa cidade que não conheço. Minha sandália arrebenta.

Felizmente, há um shopping enorme a 300 metros do ponto e, alguns passos descalços depois, estou num interior brilhante, de paredes brancas e ar condicionado.

Em menos de 10 minutos, compro novas sandálias e aproveito para comprar também o remédio que minha amiga pediu, numa farmácia 24 horas.

Tudo isso num domingo.

No quesito conveniência, os shoppings brasileiros reinam supremos, são campeões, tiram nota 10.

Mas eles também têm um papel sociocultural.

loja de eletrodomésticos em Parnaíba, Piauí    Foto Lily Green

Comércio de rua sofre concorrência direta dos grandes shoppings

Vários amigos me contaram que a ida ao shopping era o passatempo preferido da infância deles e ainda é até hoje.

Um rolé no shopping, almoço na praça de alimentação, o dia inteiro fazendo compras ou simplesmente olhando vitrines.

Tenho que admitir, eu passei por uma fase assim, nos primeiros anos da minha adolescência.

E, é claro, pela influência dos Estados Unidos, há também muitos shoppings na Grã-Bretanha, mas não tantos quanto no Brasil.

Existe ainda um esforço de líderes comunitários e dos próprios moradores para preservar o comércio local nas chamadas "high streets".

Mas acabei odiando shopping, pela mesmice, pela falta de alma, de identidade própria, pela necessidade de se comprar, gastar, gastar e gastar.

E, acima de tudo acho os prédios feios, monstruosos, sem luz natural.

Fico me perguntando por que aqui no Brasil os shoppings são assim tão cultuados?

Acho que por serem espaços protegidos, sem o perigo das ruas, longe da violência, do crime. Um local onde as pessoas podem exibir o dinheiro que têm, sem medo de serem roubadas.

Porém, há que se lembrar que os shoppings acabam prejudicando o pequeno comércio, os antigos mercados de bairro, que não conseguem competir, acabam perdendo freguesia e muitas vezes têm de fechar as portas.

E a consequência são bairros com menos vida comunitária, ruas mais vazias, o que pode até ter relação com a violência.

E você? prefere o shopping? Ou ainda faz suas compras no comércio de rua? Seu bairro ainda tem um comércio de rua ativo?

Faça seus comentários no espaço abaixo e mande sua foto usando o formulário a seguir!

* Indica preenchimento obrigatório.

  • Especificações das imagens:
  • Tamanho máximo do arquivo: 200MB
  • Formato do arquivo: jpg, gif, png
  • Especificações do áudio/vídeo:
  • Tamanho máximo do arquivo: 200MB
  • Formato do arquivo: avi, mov, wmv, mp4, mpg, flv, 3gp, wav, mp3, wma

Acrescentar arquivo

Comentários

Não são aceitos mais comentários

Vá para a página de comentários
 
  • Classifique este
    0

    Número do comentário 5.

    Nem um nem outro, compras pela internet.

  • Classifique este
    0

    Número do comentário 4.

    em minha cidade a muitos armazéns onde se vendem arroz ,café ,banha sacarias em geral ,açougue em esquinas ,pastelarias e lojas de armarinhos,a tem ainda alfaiates ,costureiras e casas de selarias e feiras nas ruas com comida e verduras ,onde se compram galinhas caipiras ,patos ,tudo da roça ,uma cidade onde os velhos costumes ainda persistem e é show

  • Classifique este
    0

    Número do comentário 3.

    Moro em um bairro de subúrbio na zona norte. Aqui o comercio de rua é muito forte ainda. Nasci e cresci nesse bairro e não me imagino saindo dele. Tenho tudo que preciso perto: armazens de construção, "armarinhos", mercados, feira de frutas e verduras todos os dias. Porém quando preciso de algo mais especifico como roupas e sapatos vou ao bairro da boa vista e do são José. Não me acostumo com shoppings. Me sinto presa. Limitada a alguns andares com gostos sucintos. Gosto mesmo é de bater perna nas ruas, vê aquela correria das pessoas. o empurra-empurra das calçadas e vias. shoppings é muito "privê" muito burguês, muito eletivo. A rua não. A rua é livre, é pra todos.

  • Classifique este
    0

    Número do comentário 2.

    Lily, venho acompanhando o seu blog há algum tempo. Sinto que você está de Lua de Mel com o Brasil. Isto é ótimo. Desejo que você aproveite bastante. Saiba que no Brasil a Lua de Mel para expats dura mais que em outros países. No entanto, quase sempre quando acaba o baque é muito forte. Mas não quero te assustar e nem vou adiantar sobre o que está por trás de tudo isto que hoje você considera bonito e exótico. Carnaval, pessoas sempre prestativas, sorridentes e eufóricas com a sua presença. Absolutamente tudo é festa e motivo de risadas! O que você estava fazendo na Inglaterra mesmo??

  • Classifique este
    0

    Número do comentário 1.

    Eu também já amei shoppings, mas apenas nos primeiros anos da adolescência. Hoje tenho um pensamento semelhante ao exposto no artigo, embora recorra a shoppings com alguma frequência, principalmente quando estou procurando alguma coisa e não conheço uma loja de rua que venda. Lá é mais provável encontrar, já que reúne tudo.
    Quando morava em João Pessoa - PB, ia ao shopping muito mais do que aqui no Rio. O comércio de rua aqui é mais variado. Quase não entro em shoppings mais. Então, depende muito da cidade também.

 
 

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.