Inglesa 'perdida na tradução' não entende 'quetichupi'

  • 18 fevereiro 2014
  • comentários

A britânica Eleanor Warnick, estudante de Línguas Modernas na Universidade de Oxford, é a terceira integrante do 'Para Inglês Ver'. Como já de costume, eis nossa blogueira em '30 segundos'.

30 segundos com Eleanor Warnick

Eleanor Warwick | Foto: BBC

De que você mais gosta no Brasil?

Feiras livres e forró. Adoro os repentistas que improvisam a letra de acordo com o público. Podem falar mal de mim, mas é demais.

Do que você menos gosta?

Baratas são a praga da minha vida. Moro no sexto andar de um prédio, mas elas sabem direitinho como chegar ao meu apartamento. O Brasil despertou em mim um instinto assassino que não sabia que tinha e virei mestre na arte de matá-las com chinelos.

Qual seu lugar favorito do país?

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Na última vez que fui, assisti a filhotes de macaco brincando, como se fosse uma briga, bem na frente do meu nariz.

Comida preferida?

Adoro mariola (o doce). As frutas são incomparáveis, com exceção de jaca, que parece um inseto gigante.

Qual sua palavra preferida em português?

Saudade. Intraduzível, mas universal.

Que obra literária brasileira mais te marcou?

Os contos de Clarice Lispector. Gosto como ela brinca com a língua e cria muitas perguntas com poucas palavras. (e olhem que Eleanor ainda não leu A Paixão Segundo GH!)

O que você ainda não entende do Brasil?

Tenho a maior dificuldade de entender palavras de origem inglesa que foram incorporadas ao vocabulário do dia-a-dia do brasileiro. Por exemplo: McDonald's, ketchup, Facebook. Ketchup ganha a versão "quetichupi". Como não espero a pronúncia abrasileirada, fico perdida e pareço doida, como se tivesse esquecido minha própria língua.