Procuram-se informantes

  • 31 janeiro 2014
  • comentários

Esta é minha segunda viagem ao Brasil.

Na primeira, não fui muito além do Brasil prometido pelas coloridas páginas das revistas de turismo.

Visitei o Cristo, conheci o Pelourinho e me encantei pela beleza da Chapada da Diamantina. Mas, como dizem por aqui, não vi muito mais do que o Brasil "para inglês ver".

Desta vez, venho com outra bagagem e outro objetivo. Meu Brasil vai além do Brasil dos estereótipos. Inclui tudo que aprendi sobre o país nos últimos anos e supõe mais perguntas do que respostas.

É um país, por exemplo, que também vai às ruas protestar e não apenas formado por cidadãos conformados com toda sorte de desmandos.

É um país de extremo luxo, mas também de pobreza. É um país cuja produção cultural não se limita a novelas e inclui, por exemplo, a riqueza literária expressa pelo universo de Clarice Lispector.

É um país com shopping centers por toda parte, mas que também preserva características únicas, como a venda de coco na praia. Na cidade em que estou, Recife, tem festas com música em inglês e também frevo eletrizante.

Meu objetivo nesta viagem é enxergar mais do que se apresenta para "o inglês", e um mundo mais complexo e diverso se revela.

Por trás da água azul e areias brancas da praia que frequento, vejo o alerta para o risco dos tubarões e até para esta história olho com outros olhos.

Me disseram que os tubarões estão ali porque um porto instalado em nome do desenvolvimento econômico fez com que os peixes perdessem seu habitat e se aproximassem da praia.

Para cada história, encontro diferentes versões e isso torna minha viagem ainda mais interessante. Este blog me dá a chance de ampliar ainda mais minha rede de informantes!

Na sua opinião, que aspecto ou lugar do Brasil todo estrangeiro deveria conhecer?