« Anterior | Principal | Próximo »

Desmatamento recorde

Categorias dos posts:

Eric Camara | 2009-11-11, 19:05

O governo está guardando a sete chaves os últimos números do desmatamento medido pelo sistema Prodes, que monitora a Amazônia por satélite, mas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve anunciar um resultado histórico nesta quinta-feira.

O desmate entre agosto de 2008 e agosto de 2009 é o menor desde que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) começou a avaliar a região amazônica, em1988.

Pela primeira vez em 21 anos, a área desmatada na Amazônia Legal teria ficado abaixo dos 9 mil quilômetros quadrados. O resultado mais próximo disso foi registrado entre 2006 e 2007, com 11.633 km2 derrubados.

Não é à toa que os números devem ser anunciados por Lula, e não por um representante do ministério da Ciência e da Tecnologia, como costuma acontecer.

A menos de um mês de Copenhague, com ou sem metas de redução de emissões, o resultado vai ser um trunfo importante para o governo brasileiro nas negociações por um acordo que substitua o Protocolo de Kyoto.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 11:15 AM em 08 dez 2009, Blumenau SC escreveu:

    Se não começar a plantar árvores , urgente , todos os dias , vamos ter uma cidade destruida , as árvores capturam CO2 da atmosfera , O Ipê e o Jatoba , devoram o Carbôno , se alimentam disso , _____bem que a imprensa mundial , jornais , rádios , TV , poderiam se unir , e começar a icentivar o plantio de árvores em qualquer canto deste planeta , ___Pequenas árvores , defronte e dentro de prédios , casas , Bancos , Industrias , em todos os lugares possiveis , semanas atraz , o Rio Grande , recebeu Bilhões de litros de Água , ___e será que não tem mesmo o que fazer para derrubar antes , ou distribuir essas nuvens gigantes , temos tecnologia para tudo , a população , Governos , Imprensa , tem que começar a agir em várias frentes , Energia Solar , Carros elétricos ,____ no caso de SP , Armazenar em prédios , a água , no começo das tempestades , para diminuir o risco de Cheias . alguem começou a fazer isso , se não me engano , em Goiania , matéria publica em 2009 na TV Globo.

  • 2. às 12:22 PM em 15 jan 2010, elisabeth i. santos escreveu:

    gostei muito da matéria parabéns , isso com certeza deve ser aplicado além de melhorar o aspecto urbano a qualidade de vida também . parabéns pela iniciativa.

  • 3. às 07:39 PM em 19 fev 2010, Roberto Locks escreveu:

    Se reduzirmos a população, ou o consumo, as árvores voltam a brotar!!! Quem dará o primeiro passo???
    Quanto ao plantio de árvores na urbe, cabe salientar que não é tarefa fácil. Uma árvore pode se transformar em desgraça junto à residências em lotes normalmente com 300m2. Na urbe pode ser estimulado somente o plantio de arbustos e jardinagem, além de calçadas ecológicas. O estrago, do ponto de vista florestal, das áreas urbanizadas, no planeta, é muito pequeno comparado ao estrago feito pelas atividades rurais. É aí que deve estar concentrado os esforços, no momento.
    Há até o absurdo ilegal, em novos parcelamentos de solo (loteamentos) estarem distribuindo a reserva legal pelos lotes, como se isto fosse algo que traria melhora na qualidade de vida. Isto é absurdo sobre absurdo. Além de tirarem uma área pública com árvores, poderão gerar grandes catástrofes como as observadas na Austrália e Flórida recentemente, passando a ter bairros inteiros incendiados, fora o aumento do risco com descargas elétricas devido a árvores junto á residências.
    Cabe lembrar que em São Paulo capital tivemos 400 árvores que caíram nos 5 primeiros dias de fevereiro. Já contamos com várias mortes e acidentados até a presente causado por árvores inadequada para a urbe.
    Basta observar que o homem depende da floresta mas não evoluiu dentro delas!!! Não sobrevive morando dentro delas. Os índios moram somente nas clareiras.
    Muito cuidado com arborização nas urbes, especialmente árvores dentro de pequenos lotes, como são indevidamente nossas cidades a milhares de anos. Para a urbe basta ter mais áreas verdes, mas nunca árvores frondosas junto à moradia.

  • 4. às 04:17 PM em 11 mar 2010, Paulo escreveu:

    O HOMEM É COMPLEXO , FAZ GUERRAS , DESTROE O PLANETA, GASTA MILHOES EXPLORANDO O ESPAÇO , ( E MUITOS MORREM DE FOME E SEDE ), TEM PRECONCEITO RACIAL , IDEOLÓGICO,MATA EM NOME DE DEUS,IMPÕE SISTEMAS DE GOVERNOS NÃO VOLTADOS PARA O PROPRIO HOMEM .

    ESQUEÇAM! NÃO TEM COMO REVERTER A SITUAÇÃO ! AS PROXIMAS GERAÇÕES
    ESTÃO SEM FUTURO , ACABOU !!

  • 5. às 05:18 AM em 27 mar 2010, Liffstream escreveu:

    Não existe um programa eficiente para acabar com os problemas do desmatamento, haja vista que não existem valores suficientes no seio da sociedade para preservação. Para onde vão as pilhas? E os circuitos eletrônicos? Falar de preservação é chocar de frente com algo cultural que faz parte de nós, o consumismo, o comodismo. E talvez esse tenha sido o motivo que trouxe-nos até aqui, sugando tudo da terra sem medir as consequências pagamos o preço daquilo que plantamos, um monte de pilhas inúteis. E a velha história de fazer a sua parte sempre é contada, acredito que cada um pode fazer o que puder e estiver ao alcance para melhorar os dias aqui na terra dos que dela se utilizarão, mas no cenário atual estamos patinando na própria merda sem sair do lugar. Por outro lado uma sujestão seria o governo fazer campanhas maciças, promover e inserir de fato a idéia na mente das pessoas, formar conceitas através de exemplos, mostrar os horrores da atual situação, usar de todos os meios de comunicação, a todo tempo, do que é necessário para se preservar o lar que vivemos. Onde foram parar os heróis? Porque o vilão nós sabemos onde está, mas não conseguimos derrotar ele sozinhos.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.