« Anterior | Principal | Próximo »

A sinuca de Obama

Categorias dos posts:

Eric Camara | 2009-07-10, 17:05

obamablog.jpg
E se um presidente do Brasil decidisse ignorar esse papo de preservação e urbanizar, industrializar a Amazônia. Será que conseguiria se reeleger, visto que grande parte da população acha que a floresta deve continuar de pé?

O presidente Barack Obama está numa situação parecida, mal comparando. Veja só: ele quer dar uma guinada nos Estados Unidos, rumo a uma economia de baixas emissões, mas grande parte da população - 49%, segundo uma pesquisa recente do Centro de Pesquisas Pew e da Associação Americana pelo Progresso da Ciência - acha que o aquecimento global não é provocado pela atividade humana.

Ou seja: será que vale a pena para o presidente americano jogar seu peso político nessa causa? No momento em que o desemprego beira os 10%, será que apostar em uma "economia verde" seria uma decisão sábia politicamente?

Al Gore e os defensores da mudança dizem que é justamente essa guinada que vai tirar os americanos do buraco. E se não for?

Na reunião do G8 que acabou hoje em Áquila, na Itália, Obama foi criticado duramente por não ter "assumido a liderança" na luta contra as emissões nos países industrializados. Os mais exaltados dizem até que um possível acordo em Copenhague, em dezembro, ficou mais distante.

Isso porque os países ricos se recusaram a anunciar metas de redução de emissões até 2020, embora tenham aceitado o compromisso de não deixar o aquecimento global ultrapassar os 2ºC.

Os principais culpados por isso são os americanos. Afinal, o governo ainda nem conseguiu passar a sua lei de mudança climática pelo Congresso (falta o Senado), e mesmo se tivesse, o documento do jeito que está só prevê cortes expressivos nas emissões americanas a partir de 2050.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, líderes europeus, notadamente França e principalmente a Alemanha, também estão frustrados com Obama.

Parece sinuca de bico: como tirar o país da crise, aprovar mudanças que incentivem uma "economia verde", liderar o mundo nas negociações por um acordo pós-Kyoto e ainda manter vivo o sonho da reeleição?

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 07:58 PM em 10 jul 2009, Vanessa escreveu:

    O problema está justamenta na má e totalmente distorcida percepção da população norte americana a respeito da emissao de gases poluentes.
    Tal população deve ser conscientizada que é responsavel por boa parte dos fenômenos catastróficos que estão assolando os Estados Unidos (EEUU).
    Com a falta de equilibrio natural no meio ambiente os tornados e furacões dos EEUU estão se tornando cada vez mais violentos.... e é claro há outros grandes problemas pelo mundo a fora.
    Para obter um trabalho com o aval do Senado é extremamente necessario conscientizar os politicos imediatamente.

  • 2. às 10:12 PM em 10 jul 2009, ronan wittee escreveu:

    A questão ambiental é refém dos interesses economicos.
    Equilibrar esta equação,não será tarefa para um governo,seja ele de quem for.
    É preciso, que a cena seja ocupada por todos os povos.
    Mas,não vamos desistir.
    Esta é uma obra gigantesca,para a qual todos nós somos indispensáveis!

  • 3. às 10:34 PM em 10 jul 2009, carlos roberto silveira escreveu:

    menos aquec global
    Os gênios se reuniram outro dia.
    E disseram que a questão do aquecimento global devera ser reduzida dois graus centrigrafos..
    Uma coisa simples de entender e fazer.. veja as corridas de formula 1, a temperatura da pista esta 40 graus Celsius , e fora dela a temperatura esta em 30 graus , :
    Motivo da diferença e do aumento da temperatura , simples o asfalto tem a cor preta ..
    Se a gente evitar a cor preta , por exemplo nos veículos, por exemplo um carro celta tem 6 metros quadrados de área que se for de cor preta este veiculo atrai muito mais calor para o carro , por tabela para o solo terrestre, por tanto não e difícil reduzir o aquecimento global , pense .....imaginem os milhões de veículos de cor preta!!!! Imagine os milhões de km quadrados de asfalto de cor preta ...

  • 4. às 10:35 PM em 10 jul 2009, Eraldo Pires escreveu:

    AGENTE VAI MORRER "TORRADO" DENTRO DE POUCO TEMPO .... ESSA É A CERTEZA QUE EU TENHO. - COM "OBAMA" OU SEM ELE. - YES, WE ARE -.

  • 5. às 01:53 AM em 11 jul 2009, Suzana escreveu:

    Nossa, esse Carlos Roberto sabe tudo de Fórmula 1 e nada de Física...
    Pelo jeito a solução pro aquecimento parece simples ao seu ver... é só pintar o asfalto de branco. Gênio. Mas Carlos, os gases emitidos pela indústria são brancos, e eles causam o efeito estufa, aquecendo o planeta. Tem alguma coisa errada nessa sua teoria...
    E o correto é graus centígrados, não centígrafos.

  • 6. às 02:16 AM em 11 jul 2009, Joabe da Silva Arruda escreveu:

    É, parece que Obama não é o messias que imaginavam.

  • 7. às 02:54 AM em 11 jul 2009, Cristóvão escreveu:

    Admiro a coragem de Obama. Um estadista tem que fazer aquilo que é certo, independentemente se aquilo vai lhe dar popularidade, votos ou sei lá o que. Estamos falando de sustentabilidade, da viabilidade de gerações futuras e milhões de espécie na face da Terra. Isto é bem mais importante que reeleição. Mesmo que, se o caminho é este mesmo, a verdade vai acabar se tornando explícita e a ações serão reconhecidas, mesmo que num prazo maior.
    Estamos acostumados com os político tupiniquins, sem escrúpulos, sem ideologias, sem ética, movido apenas pela defesa de seus interesses pessoais, que ludibriam, enganam, fingem que trabalham e que estão interessados no bem comum. Mas, acabam conseguindo suas alianças política e seus votos para se perpetuarem no poder.
    Verdadeiros estadistas, podem até se sacrificarem para atingirem objetivos que estão acima de suas próprias cabeças políticas.

  • 8. às 06:47 AM em 11 jul 2009, Larissa Barbosa escreveu:

    Nossa,tenho 16 anos e daqui a alguns anos morrerei torrada !
    Grande futuro pessoas da minha idade terá.Assim como sua filha,né Obama?!
    Essa iniciativa dele de reduzir emissões de gases para amenizar o aquecimento global está mais que coerente,pelo menos alguem tá se importando.ALELUIA.
    Só quero ver se os membros do G8 vão colaborar,ou é só fachada pra parecem os :Óh,estou me importando com o mundo'
    Meu Deus ,a 'estufa' chamada terra tá fervendo,e até que enfim é que se preocupam !
    O velho ditado: a agua bateu na bunda.
    Deviam ter feito isso antes,agora que a coisa tá feia,a cada dia pior,é que tomam iniciativa.
    Enfim,vamos ver se esses acordos acontecerão mesmo,só não entendo o porque do '2050'?!Hum,ele vai sair da presidencia e depois disso?!

  • 9. às 01:21 PM em 11 jul 2009, cesar miranda escreveu:

    A despeito de ser o pais com maior produçao cientifica do mundo, ganhar maioria de premios Nobel, a media da populaçao americana é altamente alienada e manipulada pelos meios de comunicaçao em massa. Vide o fundamentalismo cristao e a proliferação dos evangelicos naquele pais, que ate ha pouco foram liderados pelo obtuso George Bush. O presidente Obama tem como maior desafio, governar para uma naçao esquisofrenica e paradoxal.

  • 10. às 04:52 PM em 11 jul 2009, Sizorino escreveu:

    Para o meu gosto poderia aquecer mais 5°C . Esses enganadores deveriam se preocupar mesmo era com a RECICLAGEM de tudo. Mas falar de LIXO?

  • 11. às 03:42 AM em 12 jul 2009, danilo escreveu:

    49% acha que o aquecimento não é causado por atividades humanas, isso é piada né? a solução é muito simples, enfiar na cabeça desse pessoal que o aquecimento é sim causado por atividades humanas e que são necessárias medidas urgentes para evitar problemas maiores.

  • 12. às 12:57 AM em 13 jul 2009, Hannah escreveu:

    Unir política econômica e preservação do meio ambiente é pedir muito...ainda mais contando com os EUA. Tive a doce ilusão de que em países do "norte" as pessoas raciocinavam, mas vi que os gases do efeito estufa, já afetou a cabeça de uns...Mas se formos esperar pelos americanos vamos morrer em pleno Saara, mas fazer o que né? Se são eles que mandam? O jeito é ver se o Obama prefere morrer bonado no deserto, ou ajudar o mundo, das hipocrisias e do efeito estufa. Já que ele já está eleito, é melhor ser bem visto pelo mundo, do que só pelos americanos. Se ele fizer a coisa certa, com certeza o mundo vai dar um apoio pra ele. Ou acham que quem elegeu o Obama foram os americanos? Claro que não! Foi o marketing que os países fizeram. Agora como retribuição ele podia colaborar com o mundo pelo menos! E não viver no farisaísmo de que o aquecimento global não vai ultrapassar de 2°C.

  • 13. às 02:56 AM em 13 jul 2009, Dacio Villar escreveu:

    Bem, a coisa não é tão fácil como parece. Dentro da estrutura econômica dos Estados Unidos as pessoas que detêm o controle do fluxo produtivo e financeiro do país não estão preocupadas com isso, principalmente agora. Sua maior preocupação está em salvar seus patrimônios ou encontrar uma forma de tirarem proveito da crise. Acontece, que são exatamente essas pessoas que controlam as estruturas formadoras de opinião. Para que as pessoas em geral passam ver a gravidade da situação são necessária informções cotidianas e corretas, não tendenciosas. Daí, resta aos outros povos, às pessoas de todo o mundo, que já estão mais consciêntes e interessadas, fazerem pressão sobre seus governos para adotarem polícas diplomáticas que levem a mudanças de posições como resultado de relações de interesse econômico.
    Taí, num mundo globalizado, trabalho pra todo mundo.

  • 14. às 07:19 PM em 16 jul 2009, Geraldo Chaves escreveu:

    Suzana, me perdoe um comentário sobre sua colocação, mas o correto não é nem "graus centígrados" e sim "Graus CELCIUS". O termo CENTIGRADOS já significa Graus Centesimais como é dividida a escala Celcius, daí ser redundante falar em Gruas Centígrados.
    Par consulta, ver: http://pt.wikipedia.org/wiki/Grau_Celsius
    O grau Celsius (símbolo: °C) designa a unidade de temperatura, assim denominada em homenagem ao astrônomo sueco Anders Celsius (1701–1744), que foi o primeiro a propô-la em 1742. A escala de temperatura Celsius foi concebida de forma a que o ponto de congelação (congelamento) da água correspondesse ao valor zero, e o ponto de ebulição correspondesse ao valor 100, observados a uma pressão atmosférica padrão.

    Como existem cem graduações entre esses dois pontos de referência, o termo original para este sistema foi centígrado (100 partes) ou centésimos. Em 1948, o nome do sistema foi oficialmente modificado para Celsius durante a 9ª Conferência Geral de Pesos e Medidas (CR 64), tanto em reconhecimento a Celsius como para eliminar a confusão causada pelo conflito de uso do prefixos centi do SI. Portanto, não é conveniente dizer "grau centígrado", mas sim, "grau Celsius".

    Enquanto que os valores de congelação e evaporação da água estão aproximadamente corretos, a definição original não é apropriada como um padrão formal: ela depende da definição de pressão atmosférica padrão, que por sua vez depende da própria definição de temperatura. A definição oficial atual de grau Celsius define 0,01 °C como o ponto triplo da água, e 1 grau Celsius como sendo 1/273,16 da diferença de temperatura entre o ponto triplo da água e o zero absoluto. Esta definição garante que 1 grau Celsius apresenta a mesma variação de temperatura que 1 kelvin.


    Termohigrômetro digital com um termopar em seu interiorAnders Celsius propôs inicialmente que o ponto de congelação fosse 100 grau Celsius, e o ponto de evaporação 0 grau Celsius. Isso foi invertido em 1747, sob instigação de Lineu, ou talvez de Daniel Ekström, o construtor da maior parte dos termômetros usados por Celsius.[

  • 15. às 10:40 AM em 30 out 2009, Julia Nogueira escreveu:

    "Ou seja: será que vale a pena para o presidente americano jogar seu peso político nessa causa? No momento em que o desemprego beira os 10%, será que apostar em uma "economia verde" seria uma decisão sábia politicamente?" Isso é lá pergunta que se faça, sr. Eric Camara? Não temos mais tempo para isso, não, querido! Agora é hora das ações concretas contra a poluição! O "peso político" do Obama que se dane!

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.