« Anterior | Principal | Próximo »

Holandeses superam Brasil na bola e na cabeça

Categorias dos posts:

Daniel Gallas | 2010-07-02, 21:06

É fácil falar da derrota brasileira nesta Copa olhando apenas para os defeitos da seleção no segundo tempo - "apagão", falta desnecessária de Felipe Melo, nervosismo dos brasileiros, etc. Também em 2006 muito se falou dos problemas do time brasileiro, como a falta de comprometimento dos jogadores com a seleção e a meia de Roberto Carlos.

Mas às vezes, olhando demais para os defeitos da seleção, acaba-se cometendo a injustiça de não reconhecer que o Brasil perdeu para um time que, com muito mérito, jogou melhor. Em 2006, o Brasil teve seus defeitos, mas foi superado por uma boa equipe que acabou chegando à final do torneio.

Contra a Holanda, todos os defeitos do Brasil no segundo tempo não apagam o fato de que o time brasileiro foi inferior aos holandeses. Bert van Marwijk conseguiu mudar a atitude da sua equipe sem alterar nenhum jogador em campo.

Não acho que a Holanda seja superior no papel ao Brasil, mas em campo os holandeses conseguiram a difícil tarefa de, mesmo saindo atrás no placar, superar os brasileiros. Em especial, fiquei impressionado com a técnica dos jogadores holandeses e com a forma como conseguiram inverter a psicologia do jogo.

No primeiro tempo, os brasileiros jogaram tão bem que intimidaram os holandeses. Em seus bons momentos, a equipe brasileira impressiona, por sufocar o adversário e abrir pouquíssimos espaços atrás. E poucas oportunidades na frente são suficientes para o Brasil fazer gols.

Mas os holandeses souberam reverter toda essa situação. O gol quase acidental da Holanda desestruturou completamente os brasileiros. Talvez se o Brasil tivesse sofrido um gol nas mesmas circunstâncias de uma equipe de menos qualidade, como o Chile, os jogadores tivessem reagido de forma diferente. Foi assim contra os Estados Unidos na Copa das Confederações do ano passado, quando os brasileiros viraram após começarem perdendo por 2 a 0.

No entanto, desta vez, eles sabiam que estavam diante de uma seleção de muita qualidade e isso abalou o ânimo dos brasileiros, que passaram a acreditar que poderiam perder. Nesse momento, a qualidade técnica dos holandeses ajudou muito a colocar os brasileiros sob pressão.

Robben foi crucial na vitória holandesa, não com seus chutes fenomenais de fora da área ou com seus dribles rápidos, mas sim com seu bom domínio de bola, que forçava os brasileiros a pará-lo com faltas. Primeiro foi Michel Bastos, que teve de ser substituído para não acabar expulso. E depois por Felipe Melo, que já estava sob pressão pelo gol contra e acabou explodindo em irritação. Mais adiante, foi a vez de Robinho perder a cabeça e berrar com o holandês.

O segundo gol holandês foi a consolidação da superioridade holandesa no segundo tempo. Dali em diante, o Brasil se viu em uma situação pouco comum, de precisar virar uma partida diante de um adversário tão bom quanto ele. Nos últimos três anos, os jogadores de Dunga venceram tanto que esqueceram como era estar perdendo. Não houve um jogador brasileiro em campo - do capitão Lúcio ao líder Kaká, passando pelo experiente Gilberto Silva - que tenha conseguido manter a calma diante do placar negativo.

Nos minutos finais, a Holanda esteve mais perto do 3 a 1 do que o Brasil do empate. A equipe holandesa segue adiante no torneio. Não acredito que seja necessariamente a melhor de todas - há Argentina, Alemanha e Espanha na disputa - mas é sem dúvida tão boa quanto as demais, e, nesta sexta-feira, superior ao Brasil.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 09:47 PM em 02 jul 2010, valdeci c souza escreveu:

    O diálogo (im)provável de Mick Jagger com o porteiro de um hotel em Porto Elizabeth e o oportunismo de um gerente de hotel supersticioso e muito esperto:
    - Mr. Jagger, seu ingresso para o jogo Brasil e Holanda já está a sua disposição na recepção e o motorista já o aguarda na saída do Hotel para levá-lo ao estádio.
    - Por favor, mande alguém comprar uma camiseta da seleção brasileira para o Lucas meu filho.
    - Sim senhor, imediatamente.
    - Ah, sim... Solicite também um ingresso para o final masculino de Wimbledon.
    - Perfeitamente, senhor!
    - Você acha que eu sou pé-frio?
    - Não mesmo senhor, com certeza não. São meras coincidências... Afinal o senhor não entra em campo só assiste aos jogos.
    - Sei... Você não está dizendo isso para puxar meu saco, certo?
    - Não mesmo senhor, não tenha dúvidas disso!
    - Agradeça ao gerente do Hotel a cortesia pela hospedagem e pelos ingressos do jogo. Sei como foi difícil conseguir dois ingressos assim de última hora para o jogo do Brasil.
    - Perfeitamente, senhor. Nosso gerente Diego Armando tem o maior prazer em fazê-lo feliz.
    - Ok, ok... Obrigado e vamos indo que não quero perder nem um lance. Afinal, é jogo do Brasil e meu filho é meio brasileiro!
    - Claro, senhor. Boa partida!

  • 2. às 05:33 AM em 03 jul 2010, leide escreveu:

    Acho que apenas aconteceu o que todos esperávamos após ver a convocação. Mas apesar da convocação todos nós continuamos torcendo, pois era o certo a se fazer, porém sempre com um pé atrás então a acho que no fundo nós já sabíamos que seria difícil, mas tínhamos que apesar de tudo acreditar agora é só esperar a próxima é bom festejar, mas é só um jogo o problema é que nós estamos acostumados a ganhar isso será bom para os jogadores que vierem colocarem os pés no chão e o técnico tb. Tive pena dos jogadores, mas de Dunga ñ ele foi muito arrogante mereceu ficar com a cara no chão afinal de contas a sua coerência não superou o talento. Temos que ter a maturidade de saber perder.
    Até 2014 não é verdade?

  • 3. às 05:42 AM em 03 jul 2010, Dandolo escreveu:

    Todo mundo sabia que o Dunga era fraco,ou seja,não soube escolher,e nem treinar adequadamente os jogadores para concorrer numa copa. No jogo com a Coréia do Norte,deu para perceber nitidamente de que não iríamos levar essa. Quem foi que escolheu o Dunga ? Acho,também, que o juiz japonês prejudicou o Brasil na partida, anulando um gol e deixando de dar faltas para os jogadores da Holanda.O jogador Kaká foi muito perseguido nessa copa, recebendo cartões injustos.

  • 4. às 06:34 AM em 03 jul 2010, Miguel Conte escreveu:

    Daniel, Parabéns. O 1º que leio a exaltar as qualidades do time holandês, tão bom quanto o Brasil. A derrota brasileira não foi obra do acaso, como faz parecer boa parte da imprensa, mas sim obra de um time mais preparado, melhor taticamente(tanto que compensa a dupla de zaga fraca e o lateral-esquerdo veterano), com um pouco mais de ofensividade no meio-campo e destaques em melhor fase.

    Engraçado que a imprensa previa um jogo igual no pré-jogo mas insiste em não admiti-lo no pós jogo.

  • 5. às 12:50 PM em 03 jul 2010, Luiz Fernando escreveu:

    O Brasil não ganharia esta copa, já erra sabido por muitos, isto não é um jogo sim um comércio multimilionário, agora deviamos fazer igual no EUA, lá sabendo que o jogo fotebou americano transaciona muito dinheiro, então o ganhador é aquele que merece (sem interferência fora campo), imagine a quantidade de dinheiro que a economia brasileira perdeu! (camisas já fabricadas, cervejas não vendidas e outras coisas mais. Tem que ter o ponto eletrônico. Fomos roupados de novo, dois penaltis não foram marcados

  • 6. às 02:01 PM em 03 jul 2010, Jashom Oliver escreveu:

    Os comentários sobre jogo Brasil X Holanda são tipicamente tendenciosos e de alguém ou alguns que não sabem nada de futebol. Primeiro não foi a Holanda quem ganhou o jogo e sim foi o Brasil que perdeu. São coisas diferentes, pois perder um jogo é por jogar mal e ser vencido é por que o adversário soube jogar melhor,com muito mais qualidade.
    A Holanda possui um futebol medíocre, muito parecido com um timezinho de várzea,não possui nada de excepcional, assim como o Brasil poderia ter goleado a seleção holandesa já no primeiro tempo, e retornou para o segundo tempo "engalanada,satisfeita,jogo ganho". Esse foi o erro do futebol brasileiro e somente este foi o erro. Nada mais.

  • 7. às 06:20 PM em 03 jul 2010, Tania escreveu:


    O Brasil chegou ate onde muitos, inclusives frustrados ex jogadores,
    afirmaram que ele nao chegaria, portanto, eles jogaram bem infelizmente
    a Holanda foi muito melhor.
    Pior eh a Argentina levar de 4 da Alemanha provando que o Maradona eh
    um idiota e a selecao mediocre. Viva a Alemanha!!!!!!!!!

  • 8. às 12:47 AM em 04 jul 2010, Fernando escreveu:

    Discordo. A Holanda não foi melhor que o Brasil não. No primeiro tempo o Brasil foi melhor e no segundo foi a Holanda, mesmo assim, só depois do gol trapalhões do Júlio César. Até aí merecia então um empate. Mas dizer que a Holanda foi melhor e mereceu o resultado parece coisa de quem não viu o jogo.

  • 9. às 06:31 AM em 04 jul 2010, Juan escreveu:

    simples entender essa derrota,o Brasil ñ manteve a tranquilidade no momento crucial do jogo(apos o gol de empate).Tecnicamente a seleção brasileira é mto superior a holandesa,tanto q sufocou a holanda no 1º tempo.Mas qm ñ faz leva,e a holanda virou o jogo em duas bolas cruzadas na area.
    As vezes esqueçem q futebol é um esporte como outro qlqr,um perde e outro ganha, e infelizmente ate por azar o Brasil foi derrotado por uma fria Holanda.

  • 10. às 02:31 PM em 04 jul 2010, Luiz Carlos de Oliveira Arantes escreveu:

    Sou do contra (rs)

    Apesar do fracasso desta seleção, se eu fosse o Ricardo Teixeira ficaria com Dunga por mais esses próximos 4 anos.
    Ele teve uma passagem vitoriosa pela seleção brasileira e a derrota perante a Holanda foi uma fatalidade devida a detalhes que poderiam ter acontecido com qualquer outra seleção: só critico veementemente a atitude de mau-caráter de Filipe Melo na sua expulsão de campo.
    Veja bem: daqui a 4 anos a Copa do Mundo será no Brasil. Se a nossa seleção de 2010 chegasse à final, teria todas as chances de ser novamente campeã do mundo (hexa) tirando parte do brilho e interesse da próxima copa, virando uma “carne de vaca” como se diz na gíria ao se referir a algo que sempre acontece.
    A seleção da Holanda jogou com a cabeça, procurando inicialmente irritar os jogadores da nossa seleção, apostando num árbitro pouco acostumado à malícia do futebol mundial. Só se desequilibraram um pouco quando do gol do Brasil, num lançamento perfeito do criticado Felipe Melo, que para mim tem as qualidades técnicas para permanecer como titular do Brasil mas não tem equilíbrio emocional e bom caráter. O Brasil poderia ter vencido o jogo ainda no primeiro tempo.
    Mesmo no segundo tempo, apesar da Holanda vir um pouco mais ofensiva, o Brasil estava bem, apesar do nervosismo aumentado ainda mais com o gol tomado numa falha individual do “melhor goleiro do mundo”. Mas a expulsão acabou com o resto de nervos que ainda sobravam dentro e fora das quatro linhas, onde Dunga perdeu seu controle (pequeno) emocional logo no começo, com as palhaçadas dos holandeses.
    Até mesmo a não convocação de Ronaldinho Gaúcho, Adriano e da unanimidade Nacional (Ganso), eu desculpo em Dunga, pois foi corajoso com relação aos dois primeiros que não vinham jogando nada, e fiel aos demais convocados com quem já tinha um pacto de “homem de palavra” anteriormente fechado.
    Poucas vezes, em toda minha vida, conheci um treinador de seleção brasileira com tamanha personalidade, a ponto de peitar a grande “Rede Globo” de TV. Seu trabalho, apesar de nunca ter treinado outro time de futebol, foi profícuo e deve ser mantido para o bem do futebol brasileiro, moral e tecnicamente falando.

    Aquele abraço...

    Luiz

Mais conteúdo deste blog...

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.