« Anterior | Principal | Próximo »

Dois vencedores e vários perdedores na Inglaterra

Categorias dos posts:

Daniel Gallas | 2010-05-10, 14:40

Carlo Ancelotti não conseguiu conquistar a Liga dos Campeões, que é o fetiche de todo torcedor do Chelsea, mas finalmente tirou o time da sombra de José Mourinho, o último treinador a conquistar um título de expressão no clube - o Campeonato Inglês de 2005/2006.

drogba_fim226s.jpgCom um monumental 8 a 0 sobre o fraco Wigan, o Chelsea faturou o Campeonato Inglês no domingo. Pela primeira vez desde os anos 60, um time conseguiu fazer mais de cem gols no campeonato - foram 103 no total, sendo 29 do artilheiro da competição Didier Drogba.

Além do Chelsea, o Tottenham Hotspurs é outro vencedor da temporada. Superou os milionários Liverpool e Manchester City e o esforçado Aston Villa para conquistar a quarta vaga inglesa na Liga dos Campeões 2010/2011. Os excelentes resultados dos Hotspurs no final da temporada, com vitórias sobre o Chelsea e o Arsenal, colocaram a equipe de volta no principal torneio europeu pela primeira vez desde 1962.

Tirando os dois vencedores, o campeonato foi uma decepção para os demais, principalmente:

  • O Manchester United perdeu Cristiano Ronaldo nesta temporada e livrou-se de Carlos Tevez (será que ninguém se arrepende em Old Trafford?). Nem mesmo os dez meses espetaculares de Wayne Rooney impediram o Chelsea de conquistar o título. O Manchester United foi um pouco prejudicado pela eliminação precoce do Chelsea nas oitavas-de-final da Liga dos Campeões. No começo de abril, no jogo que provavelmente decidiu o título, o descansado Chelsea bateu um Manchester que ainda tinha chances na Liga dos Campeões contra o Bayern. Naquela semana catastrófica, o Manchester United praticamente deu adeus aos dois campeonatos - a Liga e o Inglês. A Carling Cup, conquistada em março, deve servir de pouco consolo para um dos melhores e mais caros times da Europa, que passa por momentos turbulentos, com torcedores pedindo a saída da família que controla o clube.
  • O Arsenal teve de se conformar com o papel de terceira força inglesa. No ano passado, o time já havia caído fora da disputa do Inglês muito antes de Chelsea e Manchester United. Neste ano, o Arsenal perdeu todos os clássicos e por pouco não terminou em quarto lugar. A despedida da Liga dos Campeões foi com uma derrota por 4 a 1 para o Barcelona.
  • Como o Arsenal, o Liverpool termina o ano sem nenhum título. Nem mesmo na final da Liga Europa (antiga Copa da UEFA) o Liverpool conseguiu chegar. E o pior de tudo, o time não disputará a Liga dos Campeões na próxima temporada. Por muito pouco, o Liverpool não perdeu a vaga até mesmo na Liga Europa 2010/2011, tendo terminado o Inglês em sétimo lugar, apenas dois pontos na frente do rival da mesma cidade, o Everton. A temporada do Liverpool não chega a ser surpresa, já que o time conseguiu logo cedo o vexame de ser eliminado na primeira fase da Liga dos Campeões por Lyon e Fiorentina. A falta de ambição do time do norte da Inglaterra é incompatível com a biografia de alguns astros. Será difícil segurar jogadores do porte de Fernando Torres, atacante da seleção espanhola.
  • O Manchester City não é nenhuma potência no futebol inglês, apesar de às vezes gastar como se fosse. Carlos Tevez foi um dos melhores jogadores do ano na Inglaterra, mas nem mesmo o seu talento foi suficiente para salvar o time. No mês passado, os torcedores do time comemoravam que nunca antes o City havia chegado tão perto do arqui-rival Manchester United no campeonato. É pouco consolo para uma equipe que, na prática, não conquistou nada, nem mesmo a tão sonhada vaga para a Liga dos Campeões, perdida para o Tottenham Hotspurs. O City gastou três vezes mais que o Tottenham em contratações desde 2008.

Burnley, Hull e Portsmouth são os outros perdedores ingleses desta temporada, rebaixados para a Segunda Divisão. O falido Portsmouth ainda pode conseguir salvar alguma coisa da temporada no próximo sábado, quando joga a final da Copa da Inglaterra contra o Chelsea.

Mais conteúdo deste blog...

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.