« Anterior | Principal | Próximo »

Brasil cria 2,4 milhões de empregos até outubro

Joao Fellet | 2010-11-19, 19:40

O Ministério do Trabalho e Emprego anunciou nesta sexta-feira que o país criou 2,4 milhões de empregos em 2010 até o mês de outubro.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), só em outubro foram abertas 204 mil vagas.

Com o resultado, faltam 93,7 mil empregos para que o ministério cumpra a previsão anual feita no início de 2010.

As vagas geradas até outubro já superam as criadas em 2009, ano que detém o recorde histórico na abertura de vagas, com 2,1 milhões de postos de trabalho inaugurados.

De acordo com o Caged, há 43,5 milhões de trabalhadores formais no país, dos quais 35,4 milhões gozam dos benefícios da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Os grupos representam, respectivamente, 45,6% e 37,1% da População Economicamente Ativa do país (95,38 milhões de pessoas em 2009, segundo a Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios).

"A economia continua aquecida e forte. Neste ritmo, com certeza alcançaremos a meta de 2,5 milhões de novos empregos criados em 2010", disse, após divulgar os dados, o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, segundo nota oficial.

De acordo com o ministério, entre todas as regiões do país, o Nordeste teve o melhor desempenho em outubro, com a criação de 53.291 vagas, recorde histórico para a região.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 19:48 em 2010-11-20, Roberto Küll Júnior escreveu:

    Seria muito bom, se o Ministério do Trabalho criasse empregos nas cidades do interior do Brasil numa parceria com outros Ministérios, por exemplo:

    • Parcerias do Ministério do Trabalho com o Ministério da Educação

    Criação de escolas de edificação, já que há um grande déficit de habitação e de bons profissionais para construí-las. Poderia se aproveitar essa própria mão de obra qualificada para a construção de creches, escolas, hospitais e casas populares para acelerar o desenvolvimento dos municípios interioranos.

    Criação de escolas técnicas para formar técnicos em fabricação e manutenção de ventiladores eólicos (que transforma essa energia em eletricidade) e de painéis solares também.

    Mais criação de escolas técnicas de mecânica (já que existem tantos carros), química e de biotecnologia.

    Se cada Estado da federação e principalmente nos municípios mais afastados das capitais, fizerem um estudo econômico para ver o perfil de cada município. Saberia qual escola técnica seria mais apropriada para cada realidade.

    • Parceria Ministério do Trabalho e Ministério da Economia

    Apoiar uma nova reforma tributária nos Estados onde cada situação tributária seja revista conforme as peculiaridades do Estado.

    Incentivo e crédito a juros baixo para compra de logística das futuras empresas e das já existentes, que queiram expandir. Essas empresas ficariam na obrigação de contratarem portadores de necessidades especiais e adolescentes (no intuito de tirá-los do ócio e aumentar a renda familiar).

    Para essas novas empresas: apoio técnico especializado, obrigatoriedade do seguro e capacitação constante dos empresários e funcionários para essas empresas não falirem nos primeiros dois anos.

    Diminuições das taxas de juros já para dezembro e de janeiro a março de 2011, fomentando o consumo interno e gerando mais empregos. Quem não gostaria de pagar menos juros?

    São apenas ideas.

  • 2. às 18:08 em 2010-11-23, Roberto Küll Júnior escreveu:

    Não seja invejoso jovem.
    As minhas ideias lhe incomodaram?
    Doi pensar?
    Estimo suas melhoras.

  • 3. às 11:04 em 2010-11-24, Claudio escreveu:

    Gostaria muito que a imprensa ao divulgar dados da criação de empregos, informasse tambem as demissões ocorridas no periodo para que saibamos a real situação do saldo desses empregos criados. Já consultei o Caged e o saldo não é esse mundo azul que Ministerio do Trabalho divulga de boca cheia.

Mais conteúdo deste blog...

Post deste blog de acordo com o tema

Categorias

Estes são alguns dos temas mais populares cobertos por este blog.

    BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

    Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.