Arquivo para 2010-10

Institutos divulgam últimas pesquisas antes da eleição

Joao Fellet | 00:44, domingo, 31 outubro 2010

O Ibope e o Datafolha divulgaram neste sábado as últimas pesquisas de intenção de voto para o segundo turno das eleições presidenciais.

No Ibope, a candidata do PT, Dilma Rousseff, tem 52% dos votos totais, contra 40% de José Serra, do PSDB.

Votos brancos e nulos somam 5%, e indecisos, 3%.

Considerando somente os votos válidos, Dilma teria 56%, e Serra, 44%.

No Datafolha, a petista tem 51% dos votos totais, contra 41% de Serra. Brancos e nulos são 4%, mesmo número dos eleitores indecisos.

Nos votos válidos, a vantagem da petista também é de dez pontos percentuais (55% a 45%).
Ambas as pesquisas têm margem de erro de dois pontos percentuais.

O Ibope ouviu 3.010 eleitores neste sábado. A pesquisa está registrada com o número 37.917/2010 e foi encomendada pelo jornal O Estado de São Paulo e pela TV Globo.

O Datafolha fez 6.554 entrevistas entre a última sexta-feira e hoje. O número de registro do levantamento, encomendado pela Folha de São Paulo e pela TV Globo, é 37.903/2010.

Também neste sábado foram divulgadas as últimas pesquisas CNT/Sensus e Vox Populi, ambas com resultados quase idênticos.

Na CNT/Sensus, Dilma tem 57,2% dos votos válidos, contra 42,8% de Serra.

Na Vox Populi, a petista tem 57%, e o tucano, 43%.

Datafolha mostra Dilma com 56% e Serra com 44% dos votos

Camilla Costa | 11:12, sexta-feira, 29 outubro 2010

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Roussef, se mantém 12 pontos à frente de José Serra (PSDB) a dois dias da eleição, segundo uma nova pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira.

Dilma aparece com 56% dos votos válidos e Serra com 44%. Os percentuais são os mesmos das pesquisas divulgadas na última quinta-feira, dia 21, e na última terça-feira, dia 26.

A margem de erros é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Segundo o levantamento, o número de eleitores indecisos caiu de 8% para 4% nos últimos dois dias. Os votos brancos e nulos continuam representando 5% do total, como nas pesquisas anteriores.

Considerando o total das intenções de voto, Dilma subiu de 49% para 50% e Serra foi de 38% para 40%. A oscilação, no entanto, está dentro da margem de erro.

A pesquisa Datafolha também mostra que candidata do PT lidera na região Sudeste, com uma vantagem de 5 pontos percentuais sobre José Serra. Durante o mês de outubro, Dilma passou de 41% a 47% e Serra, de 44% a 42%.

O candidato tucano mantém a liderança na região sul, onde tem 52% dos votos, 12 pontos à frente de Dilma.

A petista ganha no Nordeste, onde permanece 33 pontos à frente de Serra, e nas regiões Norte e Centro-Oeste, onde tem 51% de votos, contra 41% do tucano.

O Instituto Datafolha ouviu 4.205 eleitores em 256 cidades. O levantamento foi encomentado pelo jornal Folha de S. Paulo, e está registrado no TSE com o número 37721/2010.

Ibope mostra Dilma com 52% e Serra com 39% dos votos

Joao Fellet | 00:00, sexta-feira, 29 outubro 2010

Uma pesquisa do Ibope divulgada nesta quinta-feira mostra a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff , com 52% das intenções de voto e José Serra, do PSDB, com 39%.

A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Segundo o levantamento, os votos brancos e nulos somam 5%, e 4% dos eleitores estão indecisos.

Considerando apenas os votos válidos (que excluem nulos, brancos e o índice de indecisos), Dilma teria 57% e Serra, 43%.

A pesquisa foi encomendada pelo jornal O Estado de São Paulo e pela TV Globo e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 37596/2010.

O Ibope entrevistou 3.010 eleitores entre 26 e 28 de outubro.

Na pesquisa anterior do instituto, divulgada em 20 de outubro, Dilma tinha 51% dos votos totais e Serra, 40%. Brancos e nulos somavam 5%, e indecisos, 4%.

Nos votos válidos, a petista vencia o tucano por 56% contra 44%.

CNT/Sensus aponta Dilma com 51,9%, contra 36,7% de Serra

Rafael Spuldar | 11:02, quarta-feira, 27 outubro 2010

Uma nova pesquisa do instituto Sensus encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e divulgada nesta quarta-feira aponta a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, com 51,9% das intenções de voto no segundo turno, contra 36,7% de José Serra (PSDB).

Os brancos e nulos somaram 4,7%, enquanto os indecisos ficaram em 6,8%. Na análise dos votos válidos, Dilma fica com 58,6%, contra 41,4% de Serra. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa anterior, divulgada no último dia 14, apontava um empate técnico entre os dois candidatos: a petista apresentava 46,8%, contra 42,7% do tucano. Brancos e nulos totalizavam 4%, enquanto os indecisos eram 6,6%.

Considerando os votos válidos, Dilma tinha 52,3% no levantamento anterior, contra 47,7% de Serra.

O instituto Sensus entrevistou 2 mil eleitores entre os dias 23 e 25 de outubro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 37609/2010.

Nessa terça-feira, o Datafolha também divulgou uma pesquisa de intenção de voto. Segundo o instituto, Dilma tem 56% dos votos válidos, contra 44% do tucano.

Dilma mantém vantagem de 12 pontos sobre Serra, diz Datafolha‎

Mariana Della Barba | 21:58, terça-feira, 26 outubro 2010

 A candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) manteve os 12 pontos de vantagem em relação a José Serra (PSDB), segundo pesquisa do Ibope divulgada na noite desta terça-feira.

Segundo o levantamento, a petista tem 56% das intenções de voto contra 44% do tucano. Os números são os mesmos da últmia pesquisa do Ibope, divulgada há cinco dias.

Considerando o total das intenções de voto, Dilma tem 49% - um ponto porcentual a menos do que  no último levantamento. Já Serra caiu dois pontos e agora soma 38%.

Essa diferença, no entanto, está dentro da margem de erro, que é de dois pontos para cima ou para baixo.

O número de eleitores que pretende voltar em branco ou anular subiu de 4% para 5%.

Segundo o Ibope, Serra perdeu votos na região Sul, onde, no entanto, continua em vantagem: 48% dos votos totais, contra 41% de Dilma. No Nordeste, a vantagem da petista se manteve nos 37 pontos percentuais.

O candidato tucano lidera entre os eleitores com escolaridade superior (ele tem 49% contra 39% de Dilma), mas perde quando analisados os eleitores que têm nível médio (47% a 41%) e ensino fundamental (55% a 32%).

A pesquisa foi realizada com mais de 4 mil eleitores, em 246 municípios, e  foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo.

Vox Populi mostra Dilma com 49% dos votos, contra 38% de Serra

Joao Fellet | 22:36, segunda-feira, 25 outubro 2010

Uma pesquisa do instituto Vox Populi divulgada nesta segunda-feira mostra a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, com 49% das intenções de voto para o segundo turno, contra 38% de José Serra, do PSDB.

Dilma caiu dois pontos percentuais em relação à última pesquisa do instituto, realizada entre 15 e 17 de outubro, ao passo que Serra caiu um ponto. A margem de erro do levantamento é de 1,8 ponto percentual.

Do total de eleitores, 6% afirmaram que votarão em branco ou nulo; outros 7% se disseram indecisos.

Levando em conta somente os votos válidos, Dilma tem 57%, contra 43% de Serra.

De acordo com a pesquisa, Dilma mantém ampla vantagem no Nordeste, onde ganharia 64% dos votos, ante 27% de Serra. No Sudeste, ela venceria por 44% a 40%.

No Sul, porém, Serra aparece à frente: 47% a 39%.

O levantamento também revela que Dilma lidera entre eleitores católicos (51% a 39%) e católicos não praticantes (53% a 35%). Entre os evangélicos, a petista tem 44%, contra 41% do tucano, o que configura empate técnico.

Entre as pessoas sem religião, Dilma lidera com 46%, contra 38%.

O Vox Populi ouviu 3.000 pessoas em 214 municípios entre 23 e 24 de outubro. A pesquisa está registrada no TSE com o número 37059/10.

IOF maior não freia fluxo de dólares em outubro

Fabricia Peixoto | 13:38, segunda-feira, 25 outubro 2010

Mesmo com as recentes medidas adotadas pelo governo brasileiro com o objetivo de reduzir o fluxo de moeda americana ao país, os dólares continuaram entrando no Brasil de forma expressiva no mês de outubro.

Dados do Banco Central até o dia 21 deste mês mostram um saldo de US$ 3,8 bilhões no canal financeiro, que contabiliza as operações com renda fixa, em bolsa e em investimentos diretos.

O montante é o segundo maior registrado neste ano, atrás apenas do mês de setembro, quando U$ 13,7 bilhões entraram no país, principalmente em busca dos novos papéis da Petrobras.

A entrada da moeda americana no país faz a cotação do dólar cair frente ao real, o que prejudica a exportação de produtos brasileiros, ao mesmo tempo em que favorece as importações.

O assunto vem preocupando o governo brasileiro, que no último mês já elevou duas vezes o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). O tributo sobre as aplicações estrangeiras em renda fixa subiu de 2% para 6%.

Segundo o Banco Central, o Brasil continua atraindo dólares para a Bolsa de Valores e em investimentos diretos, que não pagam IOF.

O governo vem cobrando uma ação coordenada entre as principais economias que evite a valorização "exagerada" de algumas moedas, como no caso do real.

Rio Negro atinge nível mais baixo já registrado

Rafael Spuldar | 17:26, domingo, 24 outubro 2010

O rio Negro atingiu neste domingo, em Manaus (AM), o nível de 13,63 cm. Este é o recorde de baixa do rio desde 1902, quando foi iniciado o monitoramento da descida das águas.

A medição ficou um centímetro abaixo do recorde anterior, de 13,64 cm, registrado em 1963.

O rio Negro é o segundo maior do mundo em volume de água - atrás apenas do rio Amazonas, do qual é o maior afluente.

A seca na região Norte levou pelo menos 37 dos 62 municípios do Estado do Amazonas a decretar estado de emergência. Algumas comunidades ribeirinhas já estão isoladas devido à estiagem nos rios.

Já o rio Solimões, localizado no oeste do Estado, voltou a subir depois de ter atingido, no último dia 11, a marca de -86 cm, recorde baixa desde o início das medições, em 1982.

O Ministério da Integração Nacional já autorizou o repasse de R$ 23 milhões para as localidades atingidas pela seca.

Datafolha aponta Dilma com 56% dos votos válidos

Rafael Spuldar | 09:31, sexta-feira, 22 outubro 2010

Uma nova pesquisa Datafolha para o segundo turno da eleição presidencial, divulgada nesta sexta-feira, aponta a candidata Dilma Rousseff (PT) com 56% dos votos válidos, contra 44% de José Serra (PSDB).

Em números absolutos, Dilma tem 50%, contra 40% de Serra. Brancos e nulos somam 4%, enquanto os indecisos são 6%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

No levantamento anterior, divulgado no dia 15, a petista tinha 54% dos votos válidos, contra 46% do tucano. A mesma pesquisa dava Dilma com 47% das intenções de voto totais, contra 41% de Serra, 4% de brancos e nulos e 8% de indecisos.

Segundo o Datafolha, Dilma cresceu de 23% para 31% entre os eleitores que, no primeiro turno, votaram em Marina Silva (PV), candidata que terminou em terceiro lugar. Neste grupo de entrevistados, Serra oscilou de 51% para 46%.

O instituto aponta que 88% dos entrevistados se declaram decididos sobre seu voto no segundo turno, que ocorre no próximo dia 31, enquanto 10% cogitam mudar de opção.

A pesquisa, encomendada pelo jornal Folha de S.Paulo e pela Rede Globo, foi realizada no dia 21 de outubro junto a 4.037 pessoas. O levantamento foi registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 36.536/2010.

Desemprego em setembro fica em 6,2%, o menor nível desde 2002

Rafael Spuldar | 09:51, quinta-feira, 21 outubro 2010

A taxa média de desemprego no Brasil ficou em 6,2% em setembro, a menor registrada desde o início da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2002.

O índice representa uma queda de meio ponto percentual em relação a agosto (6,7%) e de 1,5 ponto percentual na comparação com setembro de 2009 (7,7%).

A população ocupada nas seis regiões metropolitanas pesquisadas (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre) foi estimada em 22,3 milhões de pessoas, uma alta de 0,7% em relação a agosto e de 3,5% em relação a setembro de 2009.

A população desocupada nestas localidades ficou em 1,5 milhão, uma redução de 7,5% em relação a agosto e de 17,7% no acumulado do ano.

Segundo o IBGE, o número de trabalhadores com carteira assinada nas seis regiões ficou estável em setembro, chegando a 10,3 milhões - uma alta de 8,6% no ano.

Já o rendimento médio real habitual dos trabalhadores, de R$ 1.499,00 em setembro, subiu 1,3% na comparação com agosto e 6,2% no acumulado de 2010.

Dilma está 11 pontos à frente de Serra, diz Ibope

Mariana Della Barba | 21:15, quarta-feira, 20 outubro 2010

Uma pesquisa realizada pelo Ibope divulgada nesta terça-feira mostra a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, 11 pontos porcentuais à frente de José Serra (PSDB).

Pela sondagem, Dilma tem 51% das intenções de voto, enquanto Serra tem 40%. Brancos e nulos, segundo o instituto, somam 5%. Os indecisos são 4%.

A vantagem da candidata praticamente dobrou em relação à pesquisa Ibope anterior, divulgada no dia 13, na qual a petista tinha 49%, e Serra, 43% dos votos totais.

Considerando somente os votos válidos – excluindo os brancos e nulos -, Dilma tem 56%, e Serra, 44%.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

A pesquisa, encomendada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo, foi realizada entre os dias 18 e 20 de outubro e está registrada no TSE sob o protocolo 36476/2010.

Nessa terça-feira, também foi divulgada pesquisa Sensus, encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), na qual Dilma aparece com 46,8%, contra 41,8% de Serra.

Brancos e nulos somam 4,1%, enquanto os indecisos são 7,2%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Em votos válidos, a petista tem 52,8%, contra 47,2% do tucano. No voto espontâneo, Dilma tem 45,3%, contra 40,6% de Serra.

No levantamento anterior, divulgado no último dia 14, a candidata do PT tinha 46,8% das intenções de voto, contra 42,7% do candidato do PSDB.

A pesquisa CNT/Sensus foi realizada nos dias 18 e 19 de outubro, junto a 2 mil pessoas. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 36.192/2010.

Copom mantém taxa básica de juros em 10,75%

Joao Fellet | 20:57, quarta-feira, 20 outubro 2010

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central resolveu nesta quarta-feira manter a taxa básica de juros da economia brasileira em 10,75% ao ano.

Unânime, a decisão pela manutenção da Selic ocorreu pela segunda vez consecutiva. O valor é dois pontos percentuais maior do que a taxa do início do ano.

Boa parte dos analistas já previa que a taxa seria mantida, de acordo com pesquisa do Banco Central feita na semana passada. Os especialistas preveem que a Selic só será elevada em abril de 2011.

A taxa é usada como base na definição dos juros cobrados por bancos em empréstimos, por exemplo. Quanto mais alta, maiores são as taxas cobradas por bancos e instituições financeiras.

O governo usa a taxa para conter a inflação. Ao elevar os juros, indiretamente encarece as prestações. Isso teoricamente reduz o volume de compras, o que restringe o aumento dos preços.

Com a Selic em 10,75%, o Brasil segue, de acordo com analistas, com os maiores juros reais (que descontam a inflação prevista para os 12 meses seguintes) do mundo.

O Copom volta a se reunir em dezembro.

Dólar volta a cair e Lula fala em novas medidas para o câmbio

Joao Fellet | 19:26, quarta-feira, 20 outubro 2010

Apesar dos esforços do governo brasileiro para tentar frear a entrada de moeda estrangeira no país, o mercado dá sinais de que as medidas podem não ter sido suficientes.

O dólar voltou a fechar em baixa nesta quarta-feira, cotado a R$ 1,67, dois dias depois de o Ministério da Fazenda anunciar uma nova elevação do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que subiu de 4% para 6%. O imposto incide sobre investimentos estrangeiros em renda fixa.

A moeda americana chegou a subir de forma expressiva no pregão desta terça-feira, mas operadores de câmbio explicaram que o movimento estava mais relacionado com anúncios na China que derrubaram os mercados do que propriamente com as medidas do governo brasileiro.

Em São Paulo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, estava certo sobre a existência de uma “guerra cambial” e acrescentou que o país tomará “as medidas que forem necessárias” para que o real não seja tão valorizado frente a outras moedas.

“Na hora em que o Miguel Jorge (ministro da Indústria e Comércio) disser para mim que as importações estão incomodando, nós iremos tomar medida. Por enquanto, o que ele acha é que a gente não tem que diminuir as importações”, disse o presidente.

O real valorizado frente ao dólar beneficia as importações, ao mesmo tempo em que diminui a competitividade dos produtos brasileiros no exterior.

O resultado é o aumento do déficit nas contas correntes, que deve fechar o ano em US$ 49,5 bilhões. No ano passado, o déficit foi de US$ 24,3 bilhões.

* Com reportagem de Fabrícia Peixoto, da BBC Brasil em Brasília

Pesquisa Vox Populi indica Dilma com 51% e Serra com 39%

Rafael Spuldar | 09:53, terça-feira, 19 outubro 2010

Uma pesquisa realizada pelo instituto Vox Populi e divulgada nesta terça-feira mostra a candidata do PT, Dilma Rousseff, com 51% das intenções de voto para o segundo turno das eleições presidenciais, contra 39% de José Serra (PSDB).

Votos brancos e nulos somam 6%, enquanto 4% dos entrevistados dizem estar indecisos.

Considerando apenas os votos válidos, a petista tem 57%, contra 43% do tucano. A margem de erro do levantamento é de 1,8 ponto percentual para mais ou para menos.

Na última pesquisa realizada pelo Vox Populi, divulgada em 13 de outubro, Dilma tinha 48% das intenções de voto no segundo turno, contra 40% de Serra. Brancos e nulos eram 6%, e os indecisos somavam 6%.

Em votos válidos, a candidata do PT tinha 54% no levantamento anterior, contra 46% do presidenciável do PSDB.

Considerando os votos por região, Dilma tem seu melhor desempenho no Nordeste, com 65% das intenções de voto, contra 28% de Serra. O tucano, por sua vez, tem maior vantagem no Sul, onde registra 50%, enquanto a petista tem 41%.

Na região Sudeste, que possui o maior número de eleitores, Dilma vence com 47%, contra 40% de Serra.

A pesquisa, encomendada pelo portal iG, foi realizada com 3 mil pessoas entre os dias 15 e 17 de outubro, tendo sido registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 36.193/2010.

Brasil volta a taxar capital estrangeiro para segurar queda do dólar

Fabricia Peixoto | 21:36, segunda-feira, 18 outubro 2010

Diante das freqüentes quedas do dólar, o governo brasileiro anunciou nesta segunda-feira mais um aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide sobre o capital estrangeiro.

Os investimentos de fora que chegarem ao Brasil para aplicações em renda fixa (títulos do governo) terão de pagar um “pedágio” de 6%, e não mais de 4%.

Esse é o segundo aumento promovido pelo Ministério da Fazenda em duas semanas. Há 15 dias, o ministro Guido Mantega havia anunciado a elevação do imposto de 2% para 4% - mas a moeda americana continuou entrando de forma significativa no país, pressionando sua cotação para baixo.

A medida anunciada nesta segunda-feira também afeta as operações com dólar no mercado futuro (derivativos). O IOF que incide sobre as chamadas “garantias” dessas aplicações subiu de 0,38% para 6%.

A entrada maciça de dólares no país acaba valorizando o real, o que prejudica os ganhos das empresas exportadoras.

Mantega vem criticando diversos países, dentre eles a China e os Estados Unidos, que estariam estimulando a desvalorização de suas moedas, o que tende a valorizar as moedas de outros países, como o Brasil. Para muitos economistas, o mundo está diante de uma “guerra cambial”.

Dilma mantém oito pontos de vantagem sobre Serra, diz Datafolha

Mariana Della Barba | 22:36, sábado, 16 outubro 2010

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira mostrou que os candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) mantiveram os mesmos índices de intenção de votos do levantamento anterior. Enquanto petista tem 54% dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), o tucano tem 46%.  

Em votos totais, Dilma teve uma leve queda, passando de 48% para 47%, enquanto Serra se manteve com 41%. A taxa de indecisos oscilou para cima: de 7% na pesquisa anterior para 8% na desta sexta-feira. 

Segundo o Datafolha, o apoio de Marina Silva teria impacto no voto de 25% dos entrevistados. Entre os eleitores da candidata do PV no primeiro turno, 51% dizem optar por Serra agora, contra 23% que apoiarão Dilma. Houve uma oscilação para cima de um ponto em relação à pesquisa anterior - o tucano manteve o patamar.  

A pesquisa foi feita nos dias 14 e 15 de outubro com 3.281 eleitores de 202 municípios brasileiros e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O levantamento foi registrado no TSE sob o número 35.746 e foi realizada a pedido do jornal Folha de S. Paulo e da Rede Globo.

 

Pesquisa CNT/Sensus aponta empate técnico entre Dilma e Serra

Rafael Spuldar | 11:13, quinta-feira, 14 outubro 2010

Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta quinta-feira aponta um empate técnico entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial.

A petista aparece com 46,8% das intenções de voto, contra 42,7% do tucano. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Brancos e nulos somam 4%, enquanto 6,6% dos entrevistados não responderam ou não souberam opinar.

Considerando apenas os votos válidos, Dilma tem 52,3%, contra 47,7% de Serra. Neste caso, a vantagem da candidata do PT fica 0,2 ponto percentual acima da margem de erro.

No levantamento CNT/Sensus anterior, divulgado em 29 de setembro, Dilma tinha 53,9% das intenções no segundo turno, contra 34,5% de Serra.

De acordo com a pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 72,9% dos entrevistados dizem já ter definido voto para o segundo turno, enquanto 22,9% afirmam que não têm um candidato confirmado e 4,3% não sabem ou não respondem.

A pesquisa foi realizada com 2 mil pessoas entre os dias 11 e 13 de outubro, tendo sido registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 35.560/2010.

Ibope mostra Dilma com vantagem de 6 pontos sobre Serra

Fabricia Peixoto | 22:25, quarta-feira, 13 outubro 2010

Uma pesquisa do Ibope divulgada nesta quarta-feira mostra que a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, tem 49% das intenções de votos para o segundo turno, contra 43% de José Serra, do PSDB. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

Encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo, o levantamento revela ainda que votos brancos e nulos somariam 5%. Outros 3% dos eleitores se disseram indecisos.

Contados apenas os votos válidos, Dilma teria 53%, e Serra, 47%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 35660/2010. O Ibope ouviu 3.010 eleitores entre segunda e quarta-feira desta semana.

Na pesquisa sobre o segundo turno divulgada em 2 de outubro pelo instituto, a diferença entre os candidatos era de 14 pontos percentuais. Agora, caiu para seis pontos.

Pouco antes, uma pesquisa divulgada pelo instituto Vox Populi, sob encomenda do site de notícias iG, mostrou Dilma com oito pontos de vantagem sobre Serra.

De acordo com o levantamento, Dilma tem 48% das intenções de voto, contra 40% do candidato tucano. O índice de brancos, nulos e indecisos soma 12%. A margem de erro é de 1,8 ponto.

Considerando apenas os votos válidos, a diferença entre os dois candidatos sobe para nove pontos percentuais, sendo 54,5% para a petista e 45,4% para Serra.

Um outro levantamento, realizado pelo Datafolha no dia 8 de outubro, já havia sugerido a vitória de Dilma com uma vantagem de sete pontos.

O Vox Populi entrevistou 3 mil pessoas em 214 municípios, entre os dias 10 e 11 de outubro - registrando parcialmente os efeitos do debate entre os presidenciáveis, realizado pela TV Bandeirantes na noite do dia 10.

Ainda de segundo a pesquisa, 22% das pessoas entrevistadas afirmaram ter assistido ao debate. Dos que não assistiram, 39% disseram ter "ouvido falar" do programa.

Considerando os que assistiram e os que ouviram falar, 37% consideraram que a candidata Dilma Rousseff teve um desempenho melhor. Para 32% dos entrevistados, a vitória no debate foi de Serra.

População do Brasil chegará ao pico de 206, 8 milhões, prevê Ipea

Rafael Spuldar | 14:05, quarta-feira, 13 outubro 2010

A população brasileira deve chegar ao pico de 206,8 milhões de pessoas em 2030, caindo para 204,7 milhões dez anos depois.

A previsão é do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com base nos dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD).

Segundo o Ipea, a tendência da população do Brasil é atingir o "superenvelhecimento" em 20 anos, a exemplo de diversos países da Europa e do Japão. O motivo disto é o elo entre a diminuição da mortalidade e queda na fecundidade, que ocorre no país desde os anos 1960.

O Ipea aponta também que o arranjo familiar do tipo casal com filhos ainda é predominante no Brasil, embora esteja decrescendo.

Em 2009, esta configuração representava 49,9% das famílias, contra 62,8% em 1992.

O aumento da contribuição das mulheres na renda das famílias passou de 30,1% em 1992 para 40,9% em 2009, segundo o estudo.

Já a proporção de mulheres cônjuges que contribuem para a renda familiar passou, de acordo com o Ipea, de 39,1% para 65,8% neste período.

Pesquisa Datafolha aponta Dilma com 48% e Serra com 41%

Rogerio Wassermann | 07:51, domingo, 10 outubro 2010

A primeira pesquisa após o primeiro turno da eleição presidencial, divulgada pelo instituto Datafolha neste fim de semana, aponta Dilma Rousseff (PT) com 48% das intenções de voto, contra 41% para José Serra (PSDB).

A pesquisa indica ainda que 7% dos eleitores ainda estão indecisos, e que 4% pretendem votar branco ou nulo.

Considerando somente os votos válidos, Dilma venceria a eleição com 54% dos votos, contra 46% para Serra, se a eleição fosse hoje.

A votação para o segundo turno será realizada no dia 31 de outubro.

No primeiro turno, a petista recebeu 46,9% dos votos válidos, enquanto Serra obteve 32,6%.

A pesquisa Datafolha ouviu 3.265 pessoas em 201 municípios na última sexta-feira. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Inflação tem maior alta desde abril, diz IBGE

Rafael Spuldar | 10:47, quinta-feira, 7 outubro 2010

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), inflação usada como referência pelo governo, fechou em 0,45% no mês de setembro, informou nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esta é a maior alta do índice desde abril, quando foi de 0,57%.

O IPCA do mês passado também foi superior ao de setembro de 2009, quando ficou em 0,24%. Em agosto, o índice foi de 0,04%.

O índice acumula alta de 4,7% nos últimos 12 meses, valor pouco acima do centro da meta do governo, que é de 4,5%. O acumulado até agosto chegava a 4,49%.

No acumulado do ano, a inflação chega a 3,60%.

A alimentação foi o que causou maior impacto no IPCA de setembro. Segundo o IBGE, os alimentos tiveram alta de 1,08%, depois de três meses de queda. Somente as carnes subiram 5,09%, o que representa 0,11 ponto percentual da inflação do período.

Marina quer negociar propostas 'base' para definir apoio

Joao Fellet | 18:56, quarta-feira, 6 outubro 2010

A ex-candidata do PV à Presidência Marina Silva disse nesta quarta-feira que pretende negociar propostas-chave com as candidaturas de José Serra (PSDB) e de Dilma Rousseff (PT) para decidir qual delas apoiará no segundo turno.

Em coletiva de imprensa em São Paulo, Marina anunciou que se reunirá na quinta-feira com a cúpula do seu partido para tratar das propostas de governo que serão apresentadas à sociedade e aos dois candidatos.

Após o contato, a senadora disse que levará em conta os planos de governo de Serra e Dilma, principalmente referentes à educação e ao desenvolvimento sustentável, para tomar a sua decisão.

“Até agora, eles não apresentaram essas propostas na campanha. Com o segundo turno, haverá tempo extra”, disse ela.

Marina disse que a sua decisão não se pautará por métodos da “velha política”, como cargos que possam lhe ser oferecidos num futuro governo.

Ela disse ainda que respeitará o processo em curso no PV para a escolha da candidatura que será apoiada pelo partido e que espera que a sua decisão seja a mesma da agremiação.

Ela lembrou que o próprio PV admite que minorias adotem posturas divergentes da oficial do partido.

Arsenal do governo contra queda do dólar ganha reforço no Tesouro

Fabricia Peixoto | 17:24, quarta-feira, 6 outubro 2010

O governo brasileiro anunciou nesta quarta-feira mais uma medida para tentar conter uma valorização ainda maior do real em relação ao dólar.

Uma resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) ampliou a atuação do Tesouro na compra de moeda americana, que poderá chegar a US$ 9 bilhões adicionais, segundo estimativas.

Essa é a segunda medida contra a queda do dólar anunciada nesta semana. Na segunda-feira, o governo anunciou o aumento de 2% para 4% do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide sobre os dólares que entram no país em busca de rendimentos de curto prazo (renda fixa).

A valorização do real frente ao dólar é resultado de uma série de fatores, entre eles as expectativas positivas em relação à economia brasileira e os juros pagos pelo governo, um dos mais altos do mundo.

O fluxo de dólares para o Brasil foi recorde em setembro, em função principalmente do processo de capitalização da Petrobras. No mês, o saldo ficou positivo em US$ 16,7 bilhões.

Mas na avaliação da equipe econômica, outro fator também estaria tornando a moeda brasileira mais cara e, portanto, menos competitiva: a onda de desvalorizações cambiais promovida por diversos países, sobretudo a China.

Representantes do governo brasileiro esperam tratar desse assunto na cúpula do G20, nos dias 11 e 12 de novembro, em Seul.

Dólar fecha em queda mesmo com 'pedágio' para capital estrangeiro

Fabricia Peixoto | 17:46, terça-feira, 5 outubro 2010

A decisão do governo de aumentar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 2% para 4% parece não ter afugentado o investidor estrangeiro nessa terça-feira.

A moeda americana voltou a cair e fechou o dia valendo R$ 1,675 – a menor cotação dos últimos dois anos.

O aumento do IOF sobre investimentos em renda fixa (títulos do governo), anunciado na noite desta segunda-feira, tem como objetivo diminuir o fluxo de dólares para o Brasil, movimento que joga a cotação da moeda americana para baixo.

Mais cedo, quando o dólar já mostrava tendência de queda, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, defendeu a cobrança do “pedágio” ao capital estrangeiro, mas disse ainda que seria “natural” que os efeitos não fossem vistos logo.

"Se não se tivesse tomado esta medida, com o fluxo grande que estava ocorrendo, poderia haver uma desvalorização do dólar maior do que de fato ocorreu", disse.

Os operadores de mercado classificaram a medida como “necessária”, mas ao mesmo tempo “paliativa”.

O argumento é de que o dólar continuará entrando no país por outras razões, seja para aproveitar oportunidades na Bolsa de Valores ou em investimentos de longo prazo.

Para aliados de Dilma, onda evangélica contribuiu para queda

Fabricia Peixoto | 01:17, segunda-feira, 4 outubro 2010

Enquanto o comitê de campanha de Dilma Rousseff ainda digeria a ideia de um 2º turno, alguns interlocutores mais próximos já apostavam em uma das possíveis explicações para a perda de pontos na reta final: o poder do movimento evangélico no país.

A avaliação é de que a campanha da candidata petista teria "demorado demais" em dar uma resposta à onda de comentários na internet apresentando a ex-ministra como uma candidata pouco religiosa e a favor do aborto.

O que a princípio parecia um "boato passageiro", na opinião do comitê, acabou dominando os sites de relacionamento pessoal nos últimos dias, gerando um movimento "em massa" de evangélicos desconfiados sobre o posicionamento religioso da candidata.

Não à toa esse foi o principal tema do último programa de Dilma na TV e no rádio, na quinta-feira, quando a candidata usou seu tempo para reiterar sua posição contrária ao aborto e garantir que "respeitará todas as religiões", se eleita.

"O tom da resposta até veio à altura. Mas talvez tenha demorado um pouco demais", disse um interlocutor.

Ibope e Datafolha divulgam últimas pesquisas de intenção de voto

Paula Adamo Idoeta | 21:50, sábado, 2 outubro 2010

O Ibope e o Datafolha divulgaram neste sábado as últimas pesquisas de intenção de voto para as eleições de domingo, e os números ainda mostram um cenário indefinido quanto à possibilidade de o pleito ir a segundo turno.

Segundo o Ibope, caiu a vantagem de Dilma Rousseff em relação aos demais candidatos: ela teria 47% das intenções de voto, contra 29% de José Serra (PSDB) e 16% de Marina Silva (PV).

No levantamento anterior do instituto, Dilma tinha 50%, Serra, 27%, e Marina, 13%.

Já no levantamento que leva em conta apenas os votos válidos – descontados brancos e nulos –, Dilma somaria 51%, contra 31% de Serra e 17% de Marina, aponta o Ibope.

O candidato vence em primeiro turno quando obtém mais de 50% dos votos válidos. Como a margem de erro é de dois pontos percentuais, para cima ou para baixo, não é possível concluir pelos números do instituto se Dilma poderá vencer o pleito neste domingo.

Mas a petista venceria um eventual segundo turno por 51% contra 37% de Serra, aponta o levantamento do Ibope.

Datafolha

Pesquisa do Datafolha apresenta cenário semelhante. A candidata petista se manteve com os 47% do levantamento anterior (realizado entre terça e quarta-feira), enquanto Serra subiu um ponto percentual, para 29%. Marina cresceu de 14% para 16%.

Contados apenas os votos válidos, Dilma teria 50%, contra 31% do candidato tucano e 17% da verde, indica o Datafolha.

No levantamento do instituto, em um eventual segundo turno Dilma ficaria com 52% dos votos, contra 40% de José Serra.

A margem de erro de ambos os levantamentos – que foram realizados entre sexta-feira e sábado – é de 2 pontos percentuais.

Mais conteúdo deste blog...

Post deste blog de acordo com o tema

Categorias

Estes são alguns dos temas mais populares cobertos por este blog.

    BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

    Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.