« Anterior | Principal | Próximo »

Venha jantar comigo

Thomas Pappon | 2011-05-10, 16:25

É uma coisa bem britânica: a dinner party. Trata-se basicamente de um jantar organizado em casa para convidados, com entrada, prato principal e sobremesa.

Aqui, a ocasião é levada muito a sério. Garantir o sucesso de uma dinner party e defender a reputação de cozinheiro e organizador de eventos é visto como uma questão da maior importância.

Tenho a impressão até que o desgosto causado por uma dinner party fracassada ou mesmo meia-boca pode levar meses para ser superado.

Pude observar melhor esse fenômeno acompanhando um programa de TV sensacional chamado Come Dine With Me (Venha Jantar Comigo).

Ele funciona assim: quatro convidados se revezam em organizar dinner parties - cada um recebendo os outros em sua casa – depois de obter 125 libras (R$ 329) para cobrir os custos da comida e das bebidas.

Cada participante dá uma nota de 0 a 10 julgando a comida e o ‘clima’ do evento de cada dinner party. Quem levar a soma de notas mais alta ganha o prêmio, de mil libras (R$ 2,6 mil).

Uma voz em off  traz humor para a coisa toda em uma narração com pitadas generosas de sarcasmo. 

Transmitido pela primeira vez em 2005 pelo canal privado Channel 4, em meio a expectativas modestas, o programa foi se transformando em um fenômeno de audiência.

Está na 24ª temporada, é transmitido em horário nobre para uma audiência fiel de 3 milhões (em um país de 60 milhões de habitantes) e o formato foi exportado para 25 países (na Alemanha chama-se Das Perfekte Dinner).

O segredo desse sucesso todo – e a razão que me fisgou – é a ‘schadenfreude’ da classe média, grosso modo, o prazer que as pessoas têm em ver a desgraça dos outros.

Uma coisa é você organizar uma dinner party para convidados desconhecidos, tentar impressioná-los com uma receita nova e ambiciosa, eles chegarem atrasados, a carne e os legumes passarem do ponto e tudo dar errado.

Outra coisa é isso ser filmado, transmitido em rede nacional e acompanhado por 3 milhões de pessoas.

É um show de humilhação. Choro, convidados falando mal dos outros ou sendo levados de táxi embriagados, temperos sendo exagerados ou esquecidos, arrogância ou autoestima elevada dando lugar a desespero, receitas bizarras, idéias ruins, idéias boas, planos que dão certo, planos que dão errado e muitos planos ficando no meio do caminho.

Na verdade, cansei um pouco do formato, de tanto sentir pena da decepção de um cozinheiro ao descobrir que o jantar não ficou do jeito que ele queria.

Mas o programa tem outra qualidade. Como os participantes são gente comum (exceto em episódios especiais com chefs profissionais), vejo o Come Dine With Me também como uma ótima forma de você ter parâmetros para avaliar a própria habilidade.

Afinal, verdade seja dita, confiança é fundamental na cozinha.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 05:19 PM em 10 mai 2011, rose escreveu:

    Pappon, adoro esses programas.Aprendo a não "sofrer" como os participantes...rsrssrr
    Bjs.

  • 2. às 01:16 PM em 11 mai 2011, Robi escreveu:

    de vez em quando assisto a versao alema mas também fico com pena das pessoas qdo nao sai como o esperado.

  • 3. às 06:38 PM em 11 mai 2011, Jose Antonio escreveu:

    Nunca Assisti estes programas, pois minha TV ainda é analógica, e só pego um canal. Que desgraça!
    Mas lendo este comentário, fiquei com ganas de montar uma versão para o youtube, haveria que montar uma pequena estrutura e todo mais... Espere um momento, pelo lido hà muita dificuldade com os lios e despesas, (por se naum sai como o esperado). Bom o importante, creio eu, que é a tentativa de criar algum novo, fora dos padrão, um pouco de confraternização, idéias diferentes e até discuções entre os participantes, e hooó, o degustar de uma comida feita pelas suas próprias mãos.

  • 4. às 02:37 AM em 15 mai 2011, Tatiana escreveu:

    A ideia é ótima, sem dúvida, mas sem TV, né? Pelamordedeus...

  • 5. às 04:38 PM em 15 mai 2011, Luciana escreveu:

    Adoro seus artigos! Curto muito uma cozinha e seus ingredientes, seus artigos sempre me ensinam algo interessante e curioso e divertido, principalmente 'utilizáveis'! Te agradeço!

  • 6. às 01:06 PM em 16 mai 2011, Ítalo Martins escreveu:

    Curti o post.
    Mas em que canal passa esse programa aqui no Brasil?
    Seria legal comentar programas de culinária de outros países também, parece que vocês só se prendem a um topo de cultura. Mas isso não vem ao caso.
    Gostaria mesmo de saber se o programa é exibido aqui no Brasil, e se for em que canal da TV por assinatura?!

  • 7. às 09:40 PM em 16 mai 2011, Denir escreveu:

    Já que o programa não passa no Brasil, por sua descrição fica claro que o "jantar" é apenas um pretexto para mostrar um circo dos horrores humanos. Assim como o inominável "Big Brother Brasil" e assemelhados. Todo jantar festivo é uma ocasião de celebrar a vida. Transformar isto num "reality show" é uma forma insidiosa de retirar a magia das celebrações - e da vida -, midiatizando o prazer mórbido destes espetáculos grosseiros onde se celebra, de modo inverso, até onde pode chegar a baixeza humana.
    O post faz a gente pensar, mas não assistiria o programa jamais.

  • 8. às 01:33 PM em 17 mai 2011, Carlos escreveu:

    Pappon, tive o prazer de participar da versao belgo-francesa desta emissão ("Un Diner persque Parfait") e te asseguro que é uma experiência divertidíssima. Ao contrário do que diz outro comentarista acima, não tem nada de "circo de horrores" e em nada lembra um "Big brother" tal emissão. É claro que a produtora força um pouco a mão na edição para criar intrigas, fofocas, etc, mas o quadro final geralmente é muito bem humorado e harmônico, salvo raríssimas situações onde realmente houve desentendimento sério entre os participantes.
    Quem nos malha mesmo é o povo que assiste. Entre os candidatos da minha edição havia um jovenzinho talentoso na cozinha, carinha de galã, filho de boa familia, escoteiro e que caiu nas graças dos tradicionalistas belgas. O fato é que eu ganhei a edição e a página do programa na internet foi palco de disputa entre os pró-exotismo malandro brasileiro e os pró-regionalistas belgas. Enquanto o povo se ofendia pela internet nós dois juntos com os outros participantes da emissão nos divertíamos compartilhando outras noitadas em torno de uma boa mesa pois, desde apos a emissão, continuamos nos frequentando até hoje para intercâmbios culinários.

  • 9. às 02:32 PM em 17 mai 2011, Thomas Pappon Author Profile Page escreveu:

    Sensacional, Carlos. Conta pra gente qual foi o menu que você apresentou no programa. Foi comida brasileira?

  • 10. às 02:39 PM em 17 mai 2011, Thomas Pappon Author Profile Page escreveu:

    Ítalo, acho que as maiores chances de o programa chegar à TV a cabo no Brasil seriam através da versão americana, Diner Takes All, transmitida pelo canal The Learning Channel. A não ser que pinte uma versão made in Brazil mesmo.

  • 11. às 02:45 PM em 17 mai 2011, Thomas Pappon Author Profile Page escreveu:

    Luciana, eu que agradeço: muito obrigado.

  • 12. às 07:48 AM em 19 mai 2011, Carlos da Costa Aguiar escreveu:

    Olá Pappon,

    Sim, foi menu 150% brasileiro com ingredientes improvisados et uma mulata holandesa (!) que era um espetáculo. Mais chichê do que tudo isso não dava pra ser ...

    Para matar curiosidade:

    Os vídeos
    http://www.rtltvi.be/video/17937.aspx

    As receitas
    http://undinerpresqueparfait.rtltvi.be/2010/07/12/carlos/

    Abraços

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.