« Anterior | Principal | Próximo »

Dilma Rousseff, a primeira

Rogério Simões | 2010-11-01, 13:30

dilmablog.jpgA eleição de Dilma Rousseff para a Presidência da República é um fato repleto de ineditismos. Primeira colocada numa disputa tensa, acirrada e apaixonada, a petista é a primeira mulher escolhida para comandar a nação. Também é a primeira pessoa presa e torturada pelo regime militar (1964-85) a chegar ao cargo máximo do país e a primeira líder a dar continuidade a oito anos de um governo no atual período democrático. Os eleitores brasileiros nunca haviam sancionado pela segunda vez seguida a permanência de um partido à frente do governo federal, o que é um indicativo do grau de satisfação da maior parte da população com a realidade atual. O momento político que vive o Brasil é, sem dúvida, único em seus 188 anos de independência.

Para reforçar ainda mais o clima de novidade, a posição que o Brasil ocupa no mundo hoje é, também, inédita em sua história. O país deve em breve ser reconhecido como a sétima economia do mundo, caminhando para, em dez anos, chegar ao quinto lugar. Sua influência aumentou significativamente na última década e só tende a crescer, seja pelo tamanho de sua economia ou pelas áreas em que essa tem se destacado, do agrobusiness à exploração de petróleo. Isso tudo faz do futuro governo Dilma Rousseff um terreno ainda inexplorado e desconhecido, tanto para a vencedora do pleito presidencial como para a oposição ou o próprio cidadão. Os próximos quatro anos exigirão equilíbrio e atenção da parte de todos, apesar das condições políticas e econômicas relativamente favoráveis para o novo governo.

Dilma prometeu fazer um governo para todos os "brasileiros e brasileiras". Trata-se, claramente, de um compromisso importante da presidente eleita, afinal 44% do eleitorado preferia ver o tucano José Serra no Palácio do Planalto. A oposição, por sua vez, faz bem em tentar se organizar a partir de agora para confrontar o futuro governo e até mesmo já pensando na disputa em 2014. O que se espera em uma democracia é a divergência de opiniões de forma construtiva em um embate que mantenha o eleitor esclarecido sobre as diferenças entre os vários projetos para o país. Projetos, é bom lembrar, que faltaram na campanha deste ano, carente de programas de governo claros, deficiência que provavelmente favoreceu a situação.

O governo Dilma Rousseff será, em muitos aspectos, uma novidade na história brasileira. O Brasil é hoje uma potência regional com credenciais para se tornar uma das potências globais no futuro. Quanto mais o país cresce, mais aumentam suas responsabilidades perante a comunidade internacional, no âmbito da economia global, da defesa do meio ambiente e mesmo da estabilidade política mundo afora. Internamente, quanto mais a população tem acesso a bens de consumo e educação, mais exigente e consciente dos seus direitos ela se torna, o que é ótimo para a nação. Dilma Rousseff será a primeira a governar o Brasil pós-Lula e pós-pré-sal, o Brasil da Copa do Mundo e, caso se reeleja em 2014, o Brasil dos Jogos Olímpicos. Será a primeira a receber um país com mais poderes dentro de um reformado Fundo Monetário Internacional e pode até vir a ser a primeira a presidir um Brasil com assento permanente no Conselho de Segurança da ONU. O Brasil mudou, e a primeira mulher presidente precisa ser a primeira a reconhecer que o país exige uma política e um governo à altura do seu novo status, seu novo potencial e suas novas responsabilidades.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 06:09 PM em 01 nov 2010, Maíra Leal escreveu:

    O dia seguinte a eleição de Dilma como Presidente da República traz sim, uma expectativa de como será um governo de uma mulher num país que caminha para ser a quinta maior potência do mundo. Mas acho que é sempre passível de consideração que Dilma será, em muitos aspectos, diferente de Lula e por isso também conduzirá uma tipo diferente de Governo. O que acredito ser positivo.
    Quando a ausência de projetos de governo por parte da Dilma não é uma realidade, o que ocorreu é que durante essa campanha tivemos a pior demonstração do uso da liberdade de expressão desde o reestabelecimento da democracia. A grande mídia brasileira não só apoiou o adversário como também reproduziu ferramentas que introduziram o terror dentro das nossas argumentações democráticas. Certo que não se debateram objetivos para a educação e saúde de maneira tão enfática quanto se pretendia, mas a luta se deu numa dimensão muito mais profunda, se debateu nessa campanha os pilares da própria natureza da democracia, seus mais profundos conceitos e especialmente a extenção do conceito. Porque enquanto José Serra - derrotado - jorrava mentiras nos meios de comunicação, Dilma exercitou, com magnificência, seu conhecimento da democrácia e mesmo quanto tinha seu nome arrastado na lama respeitava o (mal) exercício dos direitos que ela lutou para e sofreu para ver instaurados.

  • 2. às 09:42 PM em 01 nov 2010, lfa soares escreveu:

    Estou adorando...
    Num país que mais de 30% é analfabeto funcional, depois da prsidência do Papai MULLA Noel, (ou seria do Ali Babá), agora é a vez da MULHER assumir o camando da Nação. Eu me si divirto, as feministas devem estar se virando no túmilo. A primeira MULHER PRESIDENTA é um pau mandado, ah ah ah...um ventríloco.
    Mas como estão com maioria nas duas casas, vamos direto para o primeiro mundo. Vamos ofuscar uzamericanus,
    passa régua,
    país de me..a.

  • 3. às 09:47 AM em 02 nov 2010, josé escreveu:

    Parabéns à Dilma e ao Brasil, grande país irmão.

  • 4. às 03:03 PM em 02 nov 2010, mario escreveu:

    Vai fracassar, pois o sucesso depende, fundamentalmente, de vontade ou permissão divina, ainda que muitos ignorem essa verdade. E com o passado horrendo que tem, participando de um grupo que cometeu crimes como assaltos, roubos, atentados e assassinatos, estou certo de que Dilma não terá "ajuda dos céus" no seu governo. Um sinal, já, é o link abaixo para notícia da própria BBC Brasil: "Decepção com Dilma será inevitável".

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/11/101102_dilma_press_review_rw.shtml

  • 5. às 04:02 PM em 02 nov 2010, Cristiano Sousa de Araújo escreveu:

    Viva a mediocridade !!! Viva a vulgaridade !! Viva a boçalidade !!! Afinal o Brasil é isso tudo ! Aguentem !!!!!

  • 6. às 12:38 AM em 03 nov 2010, Edgar escreveu:

    Gostei bastante da matéria e espero gostar do governo da Dilma da mesma forma. Acho que o Brasil está crescendo muito em todos os aspectos. Sem dúvida alguma, o Brasil irá crescer sim. Vale lembrar que mesmo existindo erros no mandato dela o importante é não cometer os erros dos governos anteriores, como privatizações e alto índice de corrupção. Fica a dica!

  • 7. às 02:41 AM em 03 nov 2010, Carlos Eduardo escreveu:

    Precisamos entender o seguinte fato: Lula já é o maior líder da América Latina, o presidente mais aprovado pelos brasileiros em toda a história do país. Não será uma opinião mal escrita e/ou mal fundamentada que irá fazer diferença para pessoas esclarecidas. Mesmo havendo inclusive uma quadrilha histórica que insiste em se chamar de empresários no Brasil,ainda que não respeitem as Leis Constitucionais,contrabandeiem, soneguem impostos sistematicamente e financiem uma imprensa que omite,distorce e interpreta os fatos de modo parcial e anti-ético. Estamos falando de um processo aonde nosso país viveu por várias décadas dizendo à ONU que mantinha o parlamento aberto, mas era para inglês ver, pois a ditadura foi pior do que mordaça, pior do que fio elétrico, desmantelou a sociedade brasileira,a economia brasileira, seus valores morais e a própria auto-estima dos brasileiros ficou abalada. Aonde estavam os pastores e os padres? evitando perder as contribuições dos pseudocristãos.

  • 8. às 09:20 AM em 03 nov 2010, Carlos Azambuja escreveu:

    É só observar o nível das afirmações feitas aqui - e em outros blogs na internet - por eleitores de Serra para se ter uma clara noção de porque estas eleições serão lembradas pelo baixo nível da campanha da oposição, marcada pela cumplicidade da grande imprensa desinformadora e cheia de eventos deploráveis como o "affair" do aborto e do ridículo "atentado" da bolinha de papel. Não foi à-toa que a oposição nunca apresentou seu projeto alternativo: ele simplesmente não existia.

  • 9. às 06:36 PM em 03 nov 2010, Grilo D escreveu:

    Faço minhas as palavras do Carlos Azambuja. Grande parte da campanha da Dilma foi dedicada ao desmentido de inúmeros boatos, dos mais baixos possíveis, gerados pela campanha serrista, oficial ou não. Ainda há quem acredite que Dilma implantará uma ditadura, que é a favor do aborto e que cometeu atentados terroristas. Não conseguem fazer uma simples pesquisa para questionar as informações recebidas, por mais duvidosa que seja a fonte!
    Pelo menos a vontade de continuar crescendo venceu a vontade de dividir o Brasil. Esperamos agora que Dilma corresponda às expectativas, como Lula conseguiu fazer.
    Abraços,
    Grilo D

  • 10. às 03:00 AM em 26 nov 2010, Sofia escreveu:

    Comentário desprovido de fundamentação e conhecimento, demonstrando preconceito inclusive contra a mulher. Infelizmente, foi esse tom da campanha serrista que impediu maior divulgação do programa de D. Dilma, já que esta, lá pelas tantas, teve de contra-atacar, responder às acusações difamatórias que lhe eram feitas. Este comentarista poderia ter se poupado de mostrar tanto de si mesmo, abstendo-se de escrever.

  • 11. às 03:06 AM em 26 nov 2010, Sofia escreveu:

    Você é fundamentalista? Ou sequer sabe o que é isso e veio aqui fazer seu comentário despolitizado simplesmente porque engoliu tudo o que viu na mídia, sem nem ao menos tentar digerir?

  • 12. às 03:10 AM em 26 nov 2010, Sofia escreveu:

    Se a pessoa não tem algo consistente e fundamentado a dizer, seria melhor calar. Não mostraria tanto a seu próprio respeito. Foi esse tipo de postura que tornou a campanha presidencial INTRAGÁVEL e despolitizada. Um tremendo desserviço ao país.

  • 13. às 12:13 AM em 18 dez 2010, cristiano escreveu:

    O comentário do Mário representa o tom da campanha serrista: baixaria! Concordo com os que afirmaram acima que, em boa parte da campanha, a nossa presidenta Dilma teve que se defender das acusações que eram feitas a ela. Felizmente a parte atrasada do país ficou para trás por enquanto. Agora vamos torcer para que Dilma continue fazendo o trabalho extraordinário do Presidente Lula.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.