« Anterior | Principal | Próximo »

Brasil, Copa e Olimpíada

Categorias dos posts:

Rogério Simões | 2010-04-13, 15:19

rio2016bloged.jpgAlguém se lembra da Copa de 2006? O momento em que Roberto Carlos dedicou preciosos segundos à sua meia, deixando Thierry Henry livre para eliminar a Seleção Brasileira? Ou a cabeçada de Zinedine Zidane no italiano Materazzi que rendeu ao francês um inusitado fim de carreira? Claro que todos lembramos, afinal faz pouco tempo. Quatro anos passam voando, e de certa maneira o último Mundial parece ter sido "ontem". Pois são também apenas quatro anos que separam o Brasil da Copa de 2014, para a qual o país se comprometeu com investimentos em infraestrutura dentro e fora dos estádios. Até agora, pouco se viu de concreto e até mesmo nas pranchetas de arquitetos.

A polêmica sobre a utilização ou não do estádio do Morumbi no Mundial do Brasil (segundo o jornal O Estado de S.Paulo , o campo do São Paulo foi descartado para a competição, informação negada em seguida pela Fifa) reforça as preocupações daqueles que duvidam da capacidade de o Brasil realizar um evento bem-sucedido. Quatro anos antes, o prazo para início das obras em estádios não foi cumprido (novo prazo é início de maio), e São Paulo é apenas uma entre várias dores de cabeça da entidade máxima do futebol mundial. O projeto de reforma do estádio de Brasília foi suspenso por suspeitas de superfaturamento, os aeroportos brasileiros ainda não têm condições de receber a provável avalanche de turistas/torcedores, e as chuvas do Rio mostraram que o bairro do Maracanã pode ser presa fácil de uma poderosa frente fria.

As autoridades paulistas, que tentam desesperadamente manter a cidade de São Paulo na Copa de 2014, haviam prometido investimentos em transporte em torno do Morumbi. Entre eles, a linha Ouro do Metrô, que deve ligar o aeroporto de Congonhas ao estádio sãopaulino, por meio de trens suspensos. O Metrô paulista também já constroi a estação São Paulo-Morumbi, fundamental para o transporte de torcedores em 2014. Caso o projeto paulistano para a Copa seja mesmo transferido para outro ponto da cidade ou mesmo abandonado, que impacto a decisão terá nos projetos do Metrô? Se o estádio do São Paulo for, afinal, utilizado, conseguirá o governo estadual construir a linha Ouro em apenas quatro anos? Onde será a abertura da Copa de 2014? A capital do Brasil, Brasília, será incluída? Pode o Brasil fazer um Mundial sem a sua capital federal nem sua maior metrópole? São perguntas que precisam ser respondidas rapidamente, e a Fifa sabe disso.

A Fifa também sabe que concedeu ao Brasil o direito de organizar a Copa de 2014 porque havia prometido um rodízio entre continentes e, para esse Mundial, ninguém mais na América do Sul se candidatou. A entidade não teve escolha, a não ser premiar o Brasil e cobrar uma Copa bem feita. Já a escolha do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016 foi uma vitória de verdade. A capital fluminense bateu a Chicago de Obama, além de Madri e Tóquio, numa mostra de que o Comitê Olímpico Internacional confiava na força de um novo Brasil, como eu mesmo escrevi neste espaço na época. Mas a terrível tragédia causada pelas chuvas, que matou centenas e desabrigou milhares, mostrou também a vulnerabilidade da cidade como um todo, o que já preocupa o COI.

Para os Jogos faltam seis anos, portanto o tempo para surgir o Rio olímpico é maior do que para criar uma infraestrutura para a Copa. Mas a missão de realizar os dois maiores eventos esportivos do planeta, com novas redes de transporte, um trem de alta velocidade, parque olímpico, estádios etc, etc, etc, exigirá muito das autoridades do esporte e fora dele. Não se trata apenas de um compromisso com o mundo, mas de um dos maiores desafios do Brasil como potência emergente.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 10:27 PM em 13 abr 2010, Carlos Macapuna escreveu:

    E o Brasil ainda vai construir um "elefante branco" no meio da Amazônia e outro no Pantanal, deixando Belém, o seu grande estádio (Mangueirão) e uma torcida apaixonada por futebol de fora. Isso que dá ser do país da Corrupção, onde os interesses dos políticos é que sempre prevalecem. E ninguém é burro pra acreditar que a FIFA também não foi (é) cheia de interesses, principalmente com o "nosso" presidente da CBF.
    É assim mesmo! pra "dar" algo ao Pará, nada! Mas querem construir a terceira maior usina de energia elétrica do mundo lá no meio do Pará, pra quê? Pra ajudar a desenvolver o Brasil, um país de TODOS, e JUSTO com todos!

  • 2. às 01:28 AM em 14 abr 2010, Jerome Le Banner escreveu:

    Sr.Rogério Simões, o Roberto Carlos tinha ordem do técnico pra ficar fora da área pra preparar os contra-ataques, o que é uma ótima escolha, por ter alta velocidade e baixa estatura (adiantaria ficar na área???)

    Ele fez isso na copa inteira, em escanteios e cobranças de faltas, ele corria p/ o contra-ataque. Ordens do técnico(assumido pelo mesmo)

    Vc desobedece seu chefe? caso sim, vc é um péssimo profissional.

    Grato

  • 3. às 03:42 PM em 14 abr 2010, Anderson C. escreveu:

    Os últimos acontecimentos no Rio de Janeiro, só demostra que a cidade não está preparada para eventos de grande porte. É torcer para não chover, sem falar no problema de segurança!!

  • 4. às 02:35 PM em 18 abr 2010, Bruno escreveu:

    Não adianta qual tipo de notícia sobre o Brasil e através de qual mídia a receba, a conclusão é sempre a mesma: "O Brasil não tem solução"

  • 5. às 11:12 PM em 25 abr 2010, arnoldo escreveu:

    destesto esse povo sem esperança.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.