« Anterior | Principal | Próximo »

Obama, a celebridade

Categorias dos posts:

Rogério Simões | 2008-07-31, 12:05

obamaberlim.jpgUm dos maiores desafios da mídia na cobertura das eleições presidenciais americanas é tratar o virtual candidato democrata, Barack Obama, como um ser humano. Depois de uma semana viajando pelo Oriente Médio e pela Europa, onde foi recebido como uma mistura de estrela de cinema e salvador do mundo, especialmente na Alemanha, Obama aos poucos deixa de ser de carne e osso. O que pode se transformar em seu calcanhar de Aquiles no pleito de novembro.

Seu oponente, John McCain, encurralado pela super-exposição de Obama na mídia, com claras dificuldades de convencer jornais, revistas e TVs americanos a prestar atenção em seus movimentos e discursos, já começou a explorar a seu favor a idéia do Super Obama. O mais novo anúncio da campanha do senador republicano compara o democrata com Britney Spears e Paris Hilton, moças de inegável apelo popular, mas que já demonstraram certa incompetência em administrar suas próprias vidas e carreiras. A pergunta que McCain faz no anúncio: "Ele é a maior celebridade do mundo. Mas será que ele está pronto para liderar?" Em seguida a propaganda faz referência ao alto preço do petróleo, uma das maiores preocupações recentes dos americanos, e insinua que Obama não sabe o que fazer para combater o problema. O anúncio termina com a frase: "Mais impostos, mais petróleo vindo do exterior. Esse é o verdadeiro Obama". A idéia de McCain é colar no adversário a imagem de que ele é como uma estrela do cinema, distante da realidade do cidadão americano.

Há realmente muito de celebridade na figura do candidato Barack Obama, o que não quer dizer que ele não tenha substância em suas propostas. Ele recentemente confirmou que, se eleito presidente, vai estabeler um cronograma de retirada das tropas americanas do Iraque, encerrando uma campanha militar da qual ele discordou desde o seu início. Em conversas em Bagdá, o plano, de retirada das tropas em 16 meses, foi bem recebido pelo governo iraquiano, o que fez John McCain dizer que achava a proposta boa. O mesmo McCain que chegou a dizer que o Exército americano talvez tivesse de ficar no Iraque por cem anos. Obama mostrou que pretende cumprir sua mais antiga promessa de campanha, e McCain teve de correr atrás.

Mas, apesar de suas idéias e uma oratória digna dos maiores líderes da história, a pecha de celebridade ainda pode criar problemas para Barack Obama. A imprensa americana parece ter culpa no cartório, pois em vários momentos tem se empolgado tanto com o apelo do democrata que parece ter vestido a camisa, como já escreveu aqui na BBC Brasil o nosso correspondente Bruno Garcez. A acusação vem dos tempos em que ele ainda lutava contra Hillary Clinton pela indicação democrata e se mantém na disputa contra John McCain. O republicano acusa a mídia americana de estar "apaixonada" por Barack Obama.

A impressionante passagem de Obama por Berlim e seus encontros políticos no Oriente Médio, na França e na Grã-Bretanha não surtiram efeito nas pesquisas de opinião. Levantamento da CNN aponta que ele continua na frente de McCain, mas tanto quanto estava antes do giro internacional: sete pontos percentuais. Pode parecer muito, mas é bom lembrar que a eleição americana não é um pleito nacional, mas um conjunto de 50 eleições estaduais. Em 2000, George W. Bush perdeu no voto popular, mas ganhou nas regras eleitorais. Obama ainda tem três meses de uma longa estrada antes de fazer história, e seu oponente não pode ser subestimado. McCain é antes de tudo um sobrevivente, tanto da Guerra do Vietnã como do jogo político. Inicialmente vista como um empurrãozinho, a onipresença do democrata na mídia ainda pode atrapalhar seu sonho de chegar à Casa Branca.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 01:38 PM em 03 ago 2008, nelson santos aranha filho escreveu:


    obama será um pessimo presidente. será pior do que bush. ele não tem
    conteudo, nem programa nem convicçoes. ele só tem marketing.
    ele vai afundar a economia americana
    com suas propostas absurdas e aumento de impostos e vai entregar o
    oriente medio aos terroristas que vao
    atacar israel e inerromper o fluxo de petroleo para o ocidente.obama será a derrota do mundo ocidental. obama preciso ser detido.

  • 2. às 01:04 AM em 05 ago 2008, luizcarlos de magalhaes escreveu:

    Barack é negro e por ser negro traz junto consigo a culp a dos brancos devidos as muitas injustiças causadas pelos diversos tipos de preconceito que o homem tem. O mundo quer outro John Kenedy para mártir e ele é a pessoa ideal neste momento tão conturbado pelo o qual passamos.6wyxq

  • 3. às 05:48 AM em 05 ago 2008, cezar manfron escreveu:

    Logo na disputa democrata escrevi que somente Hilary teria condiçao de vencer os republicanos, e parece que a midia americana apostou errado, alem de darem total cobertura a Obama pra derrotar Hilary, estão vendo que Obama é um Cometa, JA PASSOU, sem conteúdo, populista, certamente vai perder as eleiçoes, e parabéns aos DEMOCRATAS que perderam para eles mesmos a eleiçao mais fácil dos ultimos anos. HILARY PODER RIR A VONTADE VOCE DEVE DIZER ALTO E EM BOM TOM "Um democrata jamais desiste a não ser pelo próprio DEMOCRATA" mCCAIN PRESIDENTE!

  • 4. às 08:36 AM em 05 ago 2008, Ana Fernandes escreveu:

    oBAMA E CONTRA UM PROPOSTA DE FAZER PERFURACOES NO MAR, NUMA ZONA PROTEGIDA PELO SEU AMBIENTE, DEFENDE ESSA IDEIA IMPOPULAR COM CONVICCAO, OBAMA FOI CONTRA A OCUPACAO DO IRAQUE POIS NAO HAVIA PROVAS CONCRECTAS QUE SADDAM TIVESSE O ARMAMENTO QUE OS ESTADOS UNIDOS DIZIAM, E ELE NAO TINHA, A SAIDA DO IRAQUE E A MELHOR SOLUCAO PARA O MUNDO, PARA O DOLAR, PARA A ECONOMIA DO MUNDO, PARA A ESTABILIDADE DO MUNDO, PARA O AFGANISTAO, INFELIZMENTE AS PESSOAS CONTINUAM A OLHAR PARA O OBAMA, COMO ESTRELA, SUPERSTAR, FENOMENO, ELITISTA, PRIMEIRO NEGRO DISSO, PRIMEIRO NEGRO DAQUILO, MAS NAO VEEM NELE O HOMEM QUE ACREDITA, E QUE LUTA POR ISSO, QUE PODE TRAZER MUDANCAS, UM HOMEM QUE VAI SER CANTADO, COMO FOI CANTADO NELSOM, MARTIN E JOHN.

  • 5. às 01:55 PM em 06 ago 2008, Ricius escreveu:

    Com certeza a tal "festa democrática" americana é o que dizem os próprios americanos que questionam o processo eleitoram dos Estados Unidos. Um desperdício de dinheiro que em nada contribui para o esclarecimento da população com relação aos candidatos e as perspectivas de governo do país. A alguns anos já vem se avolumando críticas com relação a essa forma insana e hollywoodiana de se fazer eleições. Na verdade os dois partidos são faces de uma mesma moeda. A disputa só vai melhorar quando partidos alternativos começarem a crescer e impedir a injeção desenfreada de dinheiro movido a interesses que nem sempre são o da população.

  • 6. às 02:49 PM em 08 ago 2008, Ariel escreveu:

    O GRANDE PROBLEMA QUE A HUMANIDADE ESTA ENFRENTANDO E A JIHAD ISLAMICA= A GUERRA TOTAL DOS FANATICOS ISLAMICOS, PARA DESTRUIR OS HEREJES=NOS, A CULTURA OCIDENTAL E CONQUISTAR O MUNDO.
    ISSO ACREDITO QUE OBAMA HUSSEIM, NAO TERA AS CONDICOES DE ENFRENTAR, ELE E FILHO DE PAI E PADRASTO MUSULMAN, NA PRIMEIRA INFANCIA ESTUDOU EN COLEGIO ISLAMICO, PARA DEPOIS VIVER COM OS AVOS MATERNOS CRISTAOS.
    TEM O APOIO DE LIDERES MUSULMANES DOS EEUU Y DO MUNDO ISLAMICO
    PORQUE SERA?
    SERA PORQUE ESPERAN QUE OBAMA SEJA O PRIMEIRO CALIFA DE WASHINGTON??

  • 7. às 04:43 PM em 10 ago 2008, Alessandro Cavalcante escreveu:

    Rogério,
    As eleições americanas estão uma incógita neste momento. Mas não acredito na vitória de Barack Obama.
    Já foi dito que a idéia de retirar as tropas americanas do Iraque em curto prazo é pura ideologia politica, que na prática não irá funcionar. Coisa defendida por MacCain, que tem experiência no cenário de guerra, já lutou em guerras e tem amplo conhecimento sobre o assunto.
    Ah, mas se o mundo pudesse votar tenho certeza que Obama venceria.
    Forte abraço.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.