« Anterior | Principal | Próximo »

Celebridades por todos os lados

Categorias dos posts:

Rogério Simões | 2007-07-26, 13:58

lindsaylohan.jpg
Até dois meses atrás, eu não tinha idéia de quem era Lindsay Lohan. Após ver seu nome espalhado em seguidas manchetes de jornais populares, nas mãos de outros passageiros do meu ônibus diário, fiz uma rápida pesquisa no Google. Descobri que Lohan é uma atriz americana cujo currículo inclui filmes como "Mean Girls" e "Freaky Friday", cuja existência eu também desconhecia. Mas acabei reconhecendo um momento familiar de sua carreira: sua competente atuação no filme "Bobby", sobre o assassinato do senador Robert Kennedy, em 1968, que eu havia visto recentemente. Trata-se de uma produção apenas regular, mas bem intencionada, e Lohan demonstra talento como atriz.

Entretanto, nada no currículo dessa bela jovem de 21 anos, às vezes loira, às vezes morena, justifica sua constante presença na mídia. Pouco se fala sobre seus planos profissionais, seja no cinema ou no mundo da música (a moça tem dois discos lançados). O assunto é sempre seus excessos, que nos últimos dias incluíram uma prisão por dirigir sob os efeitos do álcool. Nesta semana, na CNN International, uma apresentadora e uma repórter discutiam ao vivo, dentro do noticiário, a vida pessoal da atriz, como se fosse tão importante como o aquecimento global ou a guerra no Iraque. No programa de Larry King, também na CNN, o pai de Lohan, Michael, foi entrevistado para falar dos problemas enfrentados pela jovem. Sua prisão, as sucessivas internações e até o divórcio dos seus pais foram notícia no site em inglês da BBC. Aqui na BBC Brasil, onde não há uma cobertura regular da indústria do cinema, a vida particular de celebridades ganha espaço apenas quando sua relevância claramente extrapola o mundo dos famosos. Foram, por exemplo, os casos da separação de Jennifer Aniston e Brad Pitt e da prisão de Paris Hilton. Mesmo assim, a notícia de um acidente de carro com Lindsey Lohan acabou sendo registrada em nosso site, em 2005.

Que o público da Europa, dos Estados Unidos, do Brasil ou de qualquer parte do mundo se interessa por celebridades não é novidade. Mas a indústria que se desenvolveu em torno de pessoas famosas apenas por serem famosas é algo sem precedentes. A mídia, dos jornais ao YouTube, passando pelos canais de notícias 24 horas, está no centro desse fenômeno. A combinação é (quase) sempre a mesma: uma pessoa jovem, bonita e rica, com uma vida social agitada, transforma-se em objeto de consumo e obsessão de empresários, jornalistas e, o que é mais determinante, do público.

Em tempos de "Big Brother", não é preciso mais ganhar um Oscar, ter seu disco na parada de sucessos ou ser o melhor esportista da sua modalidade. David Beckham não seria incluído em nenhuma lista dos 50 melhores jogadores de futebol da atualidade, mas sua apresentação ao LA Galaxy foi transmitida ao vivo, por pelo menos cerca de meia hora, pelos canais BBC News 24, CNN International e Sky News. Sites no Brasil chegam a publicar notícias do tipo "Famosos vão ao teatro", o que parece ser suficiente para atrair o leitor. Estamos cercados, por todos os lados, de "celebridades" de currículo duvidoso, que por sua vez vivem sob o cerco da mídia e do público. Se tal cerco é claramente apresentado como puro entretenimento, menos mal. Pior é quando o jornalismo se rende a notícias irrelevantes, sobre personalidades de fama inexplicável.

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 08:18 PM em 26 jul 2007, Eliseu Corrêa escreveu:

    Passei alguns dias em Campos do Jordão - SP. ( muito glamour , muitos carrões, belas casas e belas mulheres )é bem verdade que todos nós gostamos disso., retornando ao meu modesto lar , já na primeira noite , tive um sonho, p/ mim foi uma revelação Divina.
    Sonhei que estava em uma bela casa, entrei p/ tomar um banho num banheiro inimaginavél duas hidros enormes, fiquei eufórico querendo tomar um delicíoso banho, quando ia entrar na banheira, parei por um instante e obervei que nos cantinhos da banheira tinha fezes sob a aguá (imundiça escondida ) corri p/ um chuveiro que estava no meio do banheiro e pensei ficarei aqui neste simples chuveiro pois é limpinho, mal pensei... entrou no banheiro uma linda mulher(prostituição ), fiquei assustado e cobri minhas partes íntimas p/ me proteger dela, ela me enlaçava c/ seus braços e me chamava p/ banheira, como eu iria p/ uma banheira c/ fezes e com uma prostituta ? não! não ! não ! disse, o pior estava por vir, apareceu outra bela mulher ( promíscuidade ). Graças a Deus acordei.
    Pensei comigo : enganoso é o coração do homen quem poderá controla-lo, nosso coração fica fascinado c/ coisas efemeras. Que Deus possa abrir a cada dia nossos olhos p/ não nós deixar enganar c/ tudo isso. recomendo o Salmo 79 da Bíblia Sagrada, p/ nossa meditação.

  • 2. às 10:05 PM em 26 jul 2007, Miguel Lenz escreveu:

    É a problemática de “criação e destruição de deuses”, um adendo a mais à massificação da cultura, onde “ídolos instantâneos” são ₢riados afim de preencherem espaços necessários ao desenvolvimento da mídia e todo contexto de interesses que nela gravita. É o viver “no deixar”, é o referendar de valores fugazes mas que possuem um impacto de atenção de toque profundo na emoção das massas. Assim, como surgem tais ídolos, no mesmo momento desaparecem em detrimento de outros, é um não movimento nato de preencher um vazio no inconsciente coletivo que exige “heróis instantâneos” e continuados.Tais ídolos não são eternos, mas fugazes.O desejo satisfeito cria a necessidade de outros “desejos a serem satisfeitos"”, competindo à mídia encontrá-los, diviniza-los e colocá-los à disposição de consumo.É a roda do “consumismo mediático”, o mesmo que serve de apoio a outros “consumismos” e que fazem a engrenagem da máquina capitalista girar.É uma realidade em constante mutação, é aquele que não pode parar de andar e, com a certeza daquilo que lhe falta, sabe do lugar e de cada objeto que não é isto, que se pode residir aqui e nem se contentar com isso. Portanto, essa criação fugaz de ídolos é necessária para a sobrevivência da mídia moderna , pois ela lida sempre com o novo, com o não elaborado, com o fantasioso, com o “real produzido a partir da ilusão e da inverdade sobre seus atributos"

  • 3. às 02:56 AM em 27 jul 2007, Ludi escreveu:

    Rogério,
    A CNN US e a Internacional são a mesma porcaria.
    A CNN International uso o conteúdo editorial da CNN US só que numa apresentação diferente.
    Tirando algumas diferenças pontuais, a CNN é tão boa quanto a Fox News...

    Poxa, Paris Hilton no Larry King?! WTF!

    A CNN ficou em (quase) último lugar na análise do ICMPA:
    http://www.icmpa.umd.edu/pages/studies/transparency/main.html


    O Stephen Colbert que tirou um barato deles:
    "Loyal viewers of the Report know there's no love lost between me and CNN. They are worse than the New York Times because I cannot line my birdcage with tapes of the Situation Room. I've tried, it's not absorbent."
    http://rawstory.com/news/2007/Colbert_Moore_unite_against_CNN_web_0720.html

    Só rindo mesmo.

  • 4. às 05:32 AM em 27 jul 2007, Normando Lima escreveu:

    Prezado Simões,

    Lindsay Lohan está nos principais veículos da mídia em todo o mundo, porque simplesmente é hoje uma das mulheres mais lindas do mundo, acrescentando o fato de que é extravagante.

    Espero que continuem na imprensa internacional publicando muitas notícias dela. Na nacional, Brasil, eu preferiria que ao invés dela se falasse mais nos milhões de famintos brasileiros e no grave problema de insegurança pública, que faz do Brasil o segundo país mais perigoso do mundo.

  • 5. às 10:48 AM em 27 jul 2007, Melissa escreveu:

    Pensei que eu era a única que estranhou o estardalhaço em torno dessa moça. Inacreditável o programa do Larry King com uma mesa redonda de fofoqueiros discutindo a vida dela. Ou eu estou muito fora de moda ou o mundo enlouqueceu...

  • 6. às 03:51 PM em 27 jul 2007, antônio cláudio onofri escreveu:

    Todo esse interesse pela vida alheia pode estar no vazio que as pessoas carregam dentro de si.
    Mas note que o interesse aumenta, e muito, quando as notícias sobre qualquer celebridade são ruins.
    Tudo não passa de uma grande mentira e ilusão.
    A ida de qualquer celebridade do nada ao cabeleleiro vira notícia em vários meios de comunicação.
    Não importa mais o trabalho, mas sim a pose, as caras e bocas, nada mais.

  • 7. às 05:48 PM em 27 jul 2007, Marlos Silva escreveu:

    Caro Rogério,

    Não creio que a mídia esteja a impingir-nos nada, na tentativa de saciar a curiosidade de nós telespectadores, ouvintes, leitores...acredito sim que a população - e no Brasil isso é ainda mais acentuado - carece de ídolos de comprovada virtude moral ou artística para admirar. Restam-nos saudar os ídolos do passado. É um brecar da sociedade na "produção" de notáveis...lamentável.

  • 8. às 06:01 PM em 27 jul 2007, gzein escreveu:

    "...Pior é quando o jornalismo se rende a notícias irrelevantes, sobre personalidades de fama inexplicável." Haja visto a presente coluna. Achei que pelo menos os editores da BBC Brasil fossem nos poupar de mais um comentário sobre "celebridades". Não podia acreditar quando vi o link... mas cá está, sem sombra de dúvida. Que desperdício de espaço!

  • 9. às 09:23 PM em 27 jul 2007, Lawand escreveu:

    Vivemos uma crise de valores, a facilidade de obter informação é o combustível para distorções grotescas como o culto a celebridades e pseudocelebridades; parece mais interessante observar a vida dos outros que vivermos a própria vida. É a materialização da vida virtual.
    Talvez precisemos avançar da informação para o conhecimento, penso que assim será possível filtrar informações inúteis, e fazer da internet, e outras mídias de massa, agentes para melhoria de nossa própria existência.

  • 10. às 10:16 AM em 30 jul 2007, Milton Jr escreveu:

    Sabe, Rogério;

    Este mundo em que algumas estrelas de cinema (ou de qualquer área que esteja na mídia) vivem, nos servem de exemplo para separarmos o joio do trigo.

    Infelizmente, me ocorreu a mesma coisa com a mesma atriz. A algum tempo atrás, uma rede de canais de filmes por assinatura aqui do Brasil estava lançando um filme em que esta atua como uma garota em seu período recém-pós-adolescencia, que recebe um dom de sorte de outro ºgarotoº... e o destino faria com que estes dois se re-encontrassem num momento táo fascinante que até estrela cadente surgiria no céu.

    Ou seja, até soa de forma repunante, a exibição destes atores de meia-boca no mundo da mídia.

    Que o diga, a ex-BBB Íris ºSiriº Estefanelli, que após protagonizar um dos casos de amor mais lindos da história armada do Brasil, alguns meses após o programa terminar, ela e o suposto brigariam e separariam, quebrando assim aquele clima todo de amor... e agora, ela re-surge como apresnetadora em outra emissora, no maior estilo SALVEM-ME, POR FAVOR.

    É ridículo.

  • 11. às 10:39 AM em 30 jul 2007, Jorge escreveu:

    Esta febre das celebridades e mais uma prova do "lixo" que a midia e capaz de produzir e vender para nos, e o pior e que nos, o povo, consumimos este lixo e deixamos a vida seguir com todas as sua mazelas. Precisamos valorizar o que e de qualidade, exigir qualidade, talento, arte, cultura, isto sim e o que nos fara melhor e tambem um mundo melhor, nao estes "lixos" que ganham fortunas em cima da nossa pobre ignorancia e alienacao.

  • 12. às 06:34 PM em 30 jul 2007, Décio de Carvalho escreveu:

    Horrível, hoje temos que caçar notícias que são relevantes. Quanto a isso de celebridades, eu fico abismado o quanto somos futeis. Deisde o Big Brother, até a vida de um cara que ficou 15min fritando ovo na TV virou relevante para a vida das pessoais...Um dia eu entendo isso..

  • 13. às 02:11 AM em 31 jul 2007, ana luisa escreveu:

    Interesse exagarado por celebridades é sintoma de solidão, sentimento de vazio. Para muita gente, é mais fácil, seguro e atraente ser espectador de uma vida aparentemente colorida e perfeita a ser protagonista de uma insossa vida em preto e branco. E se a celebridade em questão passa por maus momentos, às vezes isso gera maior identificação, como se fosse um consolo ("ah, não é só comigo!").
    Matérias explorando as celebridades são aproveitadoras, mas tem por aí jornalismo muito pior, que manipula ou mascara assuntos realmente importantes de política ou economia, por exemplo. E, por outro lado, há pencas de artigos bacanas, sobre tudo, publicados muitas vezes nos mesmos sites e jornais que também divulgam fofocas. Mas que poucos lêem (inclusive aqueles que reclamam das celebridades...).
    (PS: eu tenho medo do senhor que escreveu o primeiro comentário)

  • 14. às 12:52 PM em 31 jul 2007, Eliseu Corrêa escreveu:

    Cara, Ana Luiza, não tenha medo.

    Foi apenas um pesadelo, um desabavo, me perdoe por não usar palavras doces e amavéis, este é o mundo das celebridades que não vemos, mas sabemos, gostaría sinceramente que fosse mentira tudo isso! Drogas, prostituição , promiscuidade e outras coisas piores do que estas, isso tudo é um câncer em nossa sociedade atual, o homen / mulher vão de mal a pior, o erro é nosso já nos acostumamos c/ tudo isso, aceitamos com naturalidade e não queremos ouvir a verdade, mentes calcificadas desprovidas de entendimento, temos ouvidos mas não ouvimos, temos olhos mas não vemos, estamos sendo condicionados a aceitar tudo que é errado, a vida não é um conto de fadas, infelizmente. Tudo isso tem solução graças a Deus, mas não queremos saber de Deus, Todos nós falamos graças a Deus, louvamos a Deus c/ nossos lábios mas o coração do povo está bem longe de Deus, seus corações estão voltados p/ tudo que falei acima.

  • 15. às 02:31 PM em 31 jul 2007, C.F.F. escreveu:

    De repente, não mais que de repente, eis que diante da telona ou telinha, lá estamos apreciando, quando não já credenciando a um "Oscar". Mas antes disto, se faz necessário passar por um crivo, que se chama mídia ( assim que se escreve?), e depois fica a pergunta; quem somos para credenciar.
    Saudações amigaveis
    acesse www.zrois.com

  • 16. às 05:57 PM em 01 ago 2007, grande_garoto18@hotmail.com escreveu:

    É fascinante como a mídia usufrui do poder que ela tem sobre as pessoas.

    A mídia consegue transformar "Lixo Superficial" em verdadeiras "pérolas necessárias pra sobrevivencia."

    Exemplo:
    Como uma pessoa consegue achar "chique" fumar um cigarro e beber um drink, sendo que ambos irão destrui-lo.

    A mídia transforma as coisas.
    E isso é entristecedor.

    Assim acontece com esses Astros.
    Pessoas sem exemplo de vida para a sociedade, mas são idolatrados por todos.

  • 17. às 11:17 PM em 01 ago 2007, Mig uel Lenz escreveu:

    É àquela velha história: chama atenção, então é noticia!

    Ora, isso não é novo na mídia internacional:sempre houve uma louvação à mediocridades que tenham, pelo menos, um "ângulo visual extremamente sexi"Mas, o mais grave hoje em dia é que estas mediocridades proliferam, e como exames de gafanhotos,aumentam assustadoramente.
    No futebol também ocorre tal fenômeno: jogadores médios ou ate mediocres, porque são "bonitinhos" (como um atacante brasileiro que está no exterior e que se negou a jogar na Copa América)são transformados em "ídolos à primeira vista", mesmo não correspondendo tanta à expectativas futebolíisticas.

    Ate no atual São Paulo FC , tal coisa ocorre: recentemente foi contratado um jogador do sul do país, branco, com aparência nórdica, olhos claros, dito como "fenômeno", e que até agora fez ...um gol! Mas, comentaristas "de respeito" o consideram um "grande jogador".; É nesses momentos que recordo de Frteud e Lacan e seus conceitos de "sedução".Em sua terceira teoria da sedução, Freud afirma com todas as letras que existe uma sedução universal a qual ninguém escapa.Ou seja, todos nós somos atraídos por símbolos que possam preencher algo vazio em nós, um deles, por exemplo, é a simbologia da beleza do outro: A beleza do outro pode ser uma sedução que preencha a necessidade dela quando esta está ausente em nosso Inconsciente, assim, ocorre uma sedução entre o outro e nós, transformando o primeiro numa espécie de "divindade que gostaríamos de ser"

  • 18. às 12:54 AM em 02 ago 2007, Gildcley Luiz escreveu:

    Simões,

    Como você eu também nunca tinha ouvido falar na Lindsay Lohan, até ontem onde assistir em um cinema aqui em Recife estrelado pela jovem. O filme até que muito normal com a veterana Jane Fonda falando de forma engraçada dos dramas de uma família matriarca do interior do EUA, o título do filme aqui no Brasil é "Ela é a poderosa", porém a jovem Lohan chamou-me muiita atenção pela sua beleza e pela boa atuação no filme. Não sabia eu que ela era uma Paris Hilton em menor potencial, puxa me decepcionei! A criação dessas "celebridades" é um nicho de mercado muito grande que a indústria cultural sabe muito bem se apoveitar disso, haja vista que existe programas e até canais de TV especializados nesse produto (observe a E!).Porém como tudo é passageiro na indústria cultural brevemente teremos novidades em relação as celebridades, e isso me assusta muito!. Pra finalizar meu comentário. O que é célebre? Uma pintura de Picasso, um samba de Chico Buarque, um filme do Wood Allen, ou a PAris Hilton ou a Siri do BBB 6?

  • 19. às 12:40 PM em 02 ago 2007, merdinha ambulante escreveu:

    gostam de celebridade sim, mas o que interessa mesmo é qualquer tipo de fofoca.

    ;)

  • 20. às 05:07 PM em 06 ago 2007, Robledo escreveu:

    Pelo sim e pelo não continuamos a falar dela. Interessante se falar sobre o porquê de se falar de alguém. Concluir que não há motivos para se falar dela é simplesmente atirar no próprio pé.

  • 21. às 11:09 PM em 11 ago 2007, Mario Celso de Moraes escreveu:

    Francamente. Observações do ensaista a parte e bem postas, nota zero para essa garota. Não aprecio o assunto nem gente desse nipe.

  • 22. às 08:53 AM em 30 ago 2007, Ana Fonseca escreveu:

    Essa garota e' o pior lixo possivel !!

    Aqui na Holanda saiu publicada uma entrevista com o ex-guarda-costa de Ms. Lohan. Ele pediu demissao porque corria risco de vida ! Ela ia para suburbios perigosos em Los Angeles comprar droga e se pegava com o traficante armado ate os dentes !! Tambem saia alucinada de discotecas carregando sempre uma garota no colo (ela e' bi). As garotas choram de desespero. Parece tb que frequentemente em meio de festas ela retira completamente a roupa e barbariza (faz boquinha na garrafa e tudo mais). Depois aparece em Oprah e outros shows televisivos dizendo que tudo que dizem dela e mentira, ela so quer e' encontrar o amor e ter filhos.

    Por isso que fica todo mundo fascinado querendo ver a proxima cena da novela "Lohan e seu mundo alucinado".
    Bate qualquer ficcao !

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.