« Anterior | Principal | Próximo »

Qual será o seu carro em 2011?

Categorias dos posts:

Eric Camara | 2009-05-08, 15:50

carroeletrico1.jpg

O futuro dos combustíveis já foi do etanol, do hidrogênio e até solar, mas cada vez mais, ele parece ser elétrico. Em meio à quebradeira no setor automobilístico, as gigantes Ford e Renault anunciaram planos para produção em massa de carros elétricos, e o ano em que eles chegarão na concessionária mais próxima de sua casa é 2011.

Já é possível comprar carros elétricos hoje, embora ache difícil imaginar que a relação custo/benefício seja capaz de convencer o consumidor comum. A Citroën lançou recentemente aqui na Grã-Bretanha o seu C1 ev'ie para quatro passageiros, por salgados R$ 52 mil. A Mitsubishi promete um concorrente para o segundo semestre.

A pergunta é: quem pode desembolsar um dinheiro destes por um carro compacto cuja autonomia é de no máximo 120 quilômetros e a velocidade máxima, 100 km/h?

É por isso que a produção em série interessa. Ela deve derrubar os preços, transformando os carros elétricos em opções viáveis - não só para quem está preocupado em combater o aquecimento global.

Mas há quem diga que o aumento no consumo de eletricidade por causa dos carros praticamente anula os benefícios da emissão zero, já que toda essa energia tem que ser produzida e, até o momento, elas dependem primordialmente de combustíveis fósseis.

Um estudo recente do Massachusetts Institute of Technology, o famoso MIT, e da Universidade da Califórnia, publicado na revista Science, entretanto, mostra que a produção de eletricidade em vez de etanol para carros a partir de biomassa leva a uma autonomia em quilômetros 81% maior.

Somando isso às promessas de subsídios, aqui na Grã-Bretanha, equivalentes a quase R$16 mil para a compra de carros elétricos, de 25 mil pontos de reabastecimento em Londres (onde este tipo de veículo já não paga o pedágio urbano) e de um possível esquema de aluguel de carros elétricos, eu começo a achar que até a Copa do Mundo do Brasil vou comprar um desses.

E você?

ComentáriosDeixe seu comentário

  • 1. às 06:35 PM em 08 mai 2009, Israel escreveu:

    Engraçado é que ninguém se preocupa com os danos que a produção em série causa ao meio ambiente ... dúvido muito que saiam bolinhas de sabão das chaminés das fábricas e montadoras.

    Progresso e degradação inevitavelmente andam lado a lado. Maldito capitalismo.

    Transporte público de qualidade e ciclovias ... urgente!

  • 2. às 07:43 PM em 09 mai 2009, Cecy Haemmerli escreveu:

    Vou continuar andando à pé, de ônibus e metro. Carro só mesmo para longas distâncias e mesmo assim usado, portanto, só imagino fazer uso desses carros, daqui há 20 anos, quando se tornarem banais.

  • 3. às 03:11 PM em 11 mai 2009, Jonathan Quiñones escreveu:

    Isto se o mundo não acabar mesmo como dizem por aí em 2012.

  • 4. às 04:14 AM em 14 mai 2009, Bruno Morino escreveu:

    Meu carro será uma bicicleta como já é atualmente, combústivel renovável, arroz e feijão, silencioso, não poluidor, não ocupa espaço, faz bem a minha saúde e a dos outros, barato, rápido, eficiente energéticamente.


    Automóvel?

  • 5. às 04:15 AM em 14 mai 2009, Júlio Silva escreveu:

    Em 2011, 2012 ou quando for, eu me movimentarei a pé, de bicicleta ou de transporte público, como faço há muitos e muitos anos. Carro é desnecessário, inoportuno, anti-social e prejudicial.

  • 6. às 04:21 AM em 14 mai 2009, Cássio escreveu:

    Não vejo nenhuma mudança de cultura no Brasil em detrimento do paradigma do petróleo a ser quebrado. Muito pelo contrário, enquanto a Europa investe pesado em energias renováveis, o 'must' aqui é pré-sal. Enquanto isso pedalo minha bicicleta sempre que posso.

  • 7. às 08:06 PM em 14 mai 2009, Rodrigo Gregorio escreveu:

    Gostaria de ter um carro com motor elétrico ou a ar comprimido , mas sou a favor do transporte público nas metrópoles.

  • 8. às 09:37 PM em 14 mai 2009, Pedro Augusto Pereira escreveu:

    O que adianta o carro ser elétrico se a energia elétrica necessária para carregar usa bateria é gerada em uma termelétrica abastecida por combustíveis fósseis? Agora, se essa energia elétrica for gerada com aproveitamento solar ou eólico, aí sim esse carro pode ser considerado como não poluente, ou melhor, pouco poluente.

  • 9. às 01:17 PM em 05 jun 2009, Sergio Cabral escreveu:

    Independente da forma em que é feito um carro, poluindo ou não o ambiente, acabando com a emissão por parte dos carros já é muita diferença. Assim que esta estiver eliminanda, vão começar a se preocupar com as fábricas. O importante é, o primeiro passo está sendo dado. Lâmpadas econômicas, carros elétricos, estamos começando bem.

    Confesso que sou usuário de carros, o carro elétrico, portanto, será bem funcional em pequenas distâncias ou perímetro urbano. E sim, assim que estes chegarem no Brasil, serei um dos felizes proprietários.

  • 10. às 07:05 AM em 07 dez 2009, Jose Hakone escreveu:

    O País está necessitando de carro movido a eletricidade, principalmente para dar choque nos ladrões. Para que eu vou comprar um carro novo destes, um investimento alto para detona-lo nas estradas brasileiras, cheia de buracos e com asfalto de qualidade horrível. Pessoal antes disso necessitamos de uma CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE INFRAESTRUTURA, sim prioridade nos horríveis ônibus e transporte público em que o país se encontra. Carro elétrico agora é só para Inglaterra, Japão, Estados Unidos, Inglaterra e outros países que o asfalta sai até cheiro de tutti-fruti...Imagine numa falsa blitz aqui no Brasil e um desses carros não dá arrancada que tem que dar e ai já era...é melhor estar a é ou de bicleta mesmo...

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.