« Anterior | Principal | Próximo »

Quando a lei do silêncio funciona (até demais)

Camilla Costa | 2012-07-17, 19:15

O jornal Metro fez um trocadilho com a música Twist and Shout: "Dance (mas não grite). Quem puxou a tomada de Springsteen e Macca?"

Talvez seja porque os londrinos nunca tem escassez de bons shows ao vivo para reclamar e estejam desperdiçando oportunidades. Mas a polêmica desta semana na cidade foi o balde de água fria dos organizadores do Festival Hard Rock Calling no Hyde Park no último sábado, quando eles simplesmente desligaram o som do palco durante a performance do astro Bruce Springsteen.

E fica ainda pior: na hora do corte de energia, que aconteceu perto do fim do show, Springsteen estava dividindo o palco com um de seus convidados especiais da noite, ninguém menos do que Sir Paul McCartney. Eles estavam cantando "Twist and Shout", que foi gravada pelos Beatles em 1962.

Os 80 mil fãs presentes, é claro, foram à loucura. Celebridades britânicas fizeram comentários furiosos no Twitter e o guitarrista de Springsteen reclamou para a imprensa, perguntando "Quando foi que a Inglaterra virou um Estado de polícia?".

O motivo do corte abrupto de energia foi o horário. Pelo contrato da Live Nation, organizadora do festival, com a administração local, o evento teria que terminar às 23h. Mas Bruce Springsteen e sua banda, que tocaram durante três horas, foram cortados pouco antes do limite.

Até o prefeito Boris Johnson se pronunciou sobre a confusão, mas para defender a diversão do público. Segundo o jornal Metro, ele disse que a decisão foi "excessivamente eficiente" e que, se o tivessem perguntado sobre a situação, sua resposta teria sido "continuem a tocar, em nome de Deus!".

A expectativa agora é se o mesmo vai acontecer com Madonna, que toca hoje no mesmo Hyde Park. O Evening Standard diz que ela já foi avisada de que seu destino também será o silêncio caso não respeite o limite de horário.

Outros insatisfeitos também aproveitaram a polêmica para dizer que, por falar nisso, o Hyde Park virou uma imensa poça de lama com tantos shows e não deverá se recuperar a tempo da Olimpíada. O número máximo de 13 shows por ano no parque, um dos principais de Londres, já foi diminuído para 9, a partir do ano que vem.

Em tempo: o conselho de Westminster, que administra a região, disse que - sim - recebeu uma reclamação sobre o barulho do show no próprio sábado e outra no domingo. Não se sabe quem foram os moradores que reclamaram, nem se eles tem algo especial contra Bruce 'The Boss' Springsteen.

Mais conteúdo deste blog...

BBC navigation

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.