« Anterior | Principal | Próximo »

A cautela alemã e a euforia dos outros

Categorias dos posts:

Daniel Gallas | 2009-12-16, 15:19

Entre os brasileiros, há uma polêmica sobre se o nosso grupo na Copa do Mundo é mesmo o da morte ou não. Para alguns - e eu me incluo entre eles - Costa do Marfim e Portugal estão entre os times mais difíceis nos potes do sorteio da Copa.

ballack226s.jpgNem mesmo o jogo de estreia contra a Coreia do Norte eu considero muito fácil, já que essas seleções menos tradicionais têm sempre o recurso de armar uma retranca com contra-ataque rápido (por sinal, esta é exatamente a tática que levou a Coreia do Norte à Copa).

Mas para muitos torcedores, não existe grupo difícil para a seleção pentacampeã mundial.

Menos polêmico é o grupo da Alemanha. Os alemães enfrentaram Gana, Austrália e Sérvia na primeira fase, um grupo visto pela maioria como bastante fácil.

Fácil? Para a maioria talvez, mas não para o capitão da Alemanha, Michael Ballack. Veja as declarações de Ballack esta semana para a revista alemã Kicker:

  • "Nós não temos consistência ou força suficientes na nossa equipe no momento."
  • "Em especial nos amistosos nós fomos muito fracos para dizer que temos a qualidade para vencer todos os outros."
  • "Você pode esquecer sobre o fato de termos tido sorte no sorteio - nós temos um grupo difícil e todos os três adversários são um desconforto e fisicamente muito fortes."
  • "Nós vamos ter que mostrar a que viemos logo no começo."

A cautela de Ballack contrasta com a euforia de outras equipes europeias. Eu estive na Espanha na época em que a seleção de lá se classificou para a Copa com uma goleada sobre a Estônia. Entre os comentários que vi de cronistas esportivos na TV, há praticamente um consenso de que a Espanha só tem o Brasil a temer nessa Copa, e ainda assim eles seriam os favoritos no confronto.

Aqui na Inglaterra, houve uma certa dose de euforia com o sorteio também. A imprensa foi quase unânime em destacar que a Inglaterra não tem motivos para perder sua vaga nas oitavas-de-final para Estados Unidos, Argélia e Eslovênia.

Para os mais empolgados, a Inglaterra não tem nada a temer nem mesmo após a primeira fase.

"Países com grupos fáceis, como França e Itália, não assustarão a Inglaterra se eles se encontrarem no mata-mata. A Itália, em particular, está envelhecida", disse o comentarista de TV Gary Lineker, artilheiro do Mundial de 86.

Para Lineker e outros comentaristas daqui, somente Brasil e Espanha são adversários à sua altura.

É verdade que Lineker e os comentaristas espanhóis podem se dar ao luxo de menosprezarem algumas seleções, já que - ao contrário de Ballack - eles não entrarão em campo contra nenhuma das equipes. Ainda assim, o pessimismo do alemão com sua equipe é um contraste grande se comparado ao clima esperançoso de outros países.

Mais conteúdo deste blog...

BBC navigation

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.